Pesquisar este blog

Seguir por E-mail

A RESPOSTA É O AMOR

sábado, 15 de setembro de 2018


Caros amigos leitores, coordenadores, participantes dos Grupos de Oração dos nossos Grupos do Eco, quero iniciar este texto, com a saudação inicial da Carta aos Erminenses, escrita pelo bispo e mártir Santo Inácio de Antioquia (Sec. I): "A Igreja de Deus Pai e de Jesus Cristo, rica de todos os dons da misericórdia, repleta de fé e de caridade, sem que lhe falte qualquer graça, muito amada por Deus, portadora de santidade, efusivas saudações no Espírito Imaculado e no Verbo de Deus".

Na  mensagem de 25 de janeiro de 2007,  A Gospa nos disse: “Queridos filhos, colocai a Sagrada Escritura em um lugar visível nas vossas famílias e leiam-na. Assim, conhecereis a oração do coração, e os vossos pensamentos estarão em Deus. Não esqueçais que sois passageiros como uma flor em um campo que se vê de longe, mas que em um instante desaparece. Filhinhos, deixai um sinal de bondade e de amor por onde quer que passeis, e Deus vos abençoará com a abundância de Sua Benção. Obrigada por terdes respondido a meu chamado”.

Nossa Senhora nos faz um grande chamado à leitura da Sagrada Escritura, como um meio eficaz para mergulharmos na oração do coração – ao encontro com o Senhor - e  adquirirmos os pensamentos de Deus.

Há um poeta e filósofo francês chamado Paul Claudel, que após ter deixado o ateísmo e conveter-se ao cristianismo dizia: “O respeito que o cristão tem com a Palavra de Deus é tão grande, que os colocam totalmente distantes da Palavra!". Realmente isto é um fato concreto e trágico!!!! Percebo que muitas pessoas que dizem amar e respeitar a Palavra de Deus, estão totalmente longe dela, não buscam conhecê-la, não se esforçam em encontrar um tempo para lê-la. Estas pessoas arrumam mil e umas desculpas para não dar seu tempo a Deus. Que pena! Na Sagrada Escritura está a revelação da Vontade do Pai, está de um modo especial a presença de Jesus, o Verbo do Pai, o único capaz de consolar a ferida aberta em nossos corações, e tirar a dor da perda e da angústia que pulsam no peito.

O Evangelista João mergulhou profundamente no conhecimento e nas experiências de Jesus,  e inicia o seu Evangelho dizendo:  João Capitulo 1:  “(1)En archê ên ho logos, kai ho logos ên pros ton thelon, kai theos ên ho logos. (2)houtos ên em archêi pros ton theon (3)pantadi’ autou egeneto, kai chôris autou egeneto oude hen. (4)ho gegonen em autôi zoe, kai he zoe (5)ên to phos tôn antrôpôn: kai to phôs em têi skotiai, kai he skotia auto ou katelaben”. Ou seja, “(1) No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. (2)No princípio Ele estava com Deus. (3)Tudo foi feito por meio Dele, e sem Ele nada foi feito. (4)O que foi feito Nele era a vida, (5)e a vida era luz dos homens, e a luz brilha nas trevas, mas as trevas não apreenderam”.

O Verbo, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, Jesus, desde o início estava com o Pai, e foi por meio Dele, a Palavra do Pai, que tudo foi feito e criado, pela força do Espírito Santo. Penso, neste momento, em tantos corações que estão vivendo um tempo nublado, que estão nas trevas da angústia e da dor. Quantas pessoas estão gritando interiormente por uma luz, uma saída, um consolo? 

Nossa Senhora nos indica o caminho: “A leitura da Sagrada Escritura”, pois é ela a luz para os nossos passos, capaz de nos orientar, capaz de falar ao nosso coração a Vontade do Pai sobre nós, de nos indicar a estrada certa, capaz também de nos consolar.  (Se tiverem um tempinho leiam: Isaías 43).
Como seria bom, se lutássemos contra os nossos pecados, vícios e tentações usando a espada da Palavra de Deus!!! Tenho certeza que saberíamos melhor como agir em cada situação e adquiriríamos a força da esperança de recomeçar uma nova vida, tendo em vista que nem tudo está perdido, pois Deus pode, por meio do seu Verbo, dizer um novo “Faça-se!” em nosso coração em nossa vida, e assim nos modelar em um vaso novo.

Seria muito bom, antes de tomarmos a Sagrada Escritura em nossas mãos, suplicar o dom do Espírito Santo, pedindo que Ele abra o nosso coração, que quebre a dureza que há nele, para que a Sua palavra cale no mais fundo do nosso ser, sendo Ele a resposta para as  nossas interrogações e problemas. Se tivéssemos o hábito de meditar a Palavra, de deixar o Senhor falar conosco por meio de Sua  leitura, perceberíamos que, aos poucos, os nossos pensamentos mudariam, e que a Vontade do Pai sobre nós apareceria.

Neste momento louvo e agradeço a Deus por sua infinita misericórdia, por tanto amor, por ser um Deus idealista, que acredita no homem, que tenta a todo custo trazê-lo para si.  Lembram-se da passagem do Semeador? (cf. Mc 4,1-20): “O Semeador (Deus) sai para semear (sua palavra), uma parte cai à beira do caminho, vieram os pássaros e comeram, ou seja, escutaram a palavra, mas chegou satanás e deixaram-lhe tirá-la de seus corações. Outra parte caiu em terreno pedregoso, mas como caiu onde não havia muita terra, brotou logo. Como a terra não era profunda, o sol do meio-dia secou suas raízes, este são os corações que recebem a palavra com alegria, mas são inconstantes, e quando chegam a tribulação e a dificuldade desistem logo de viver a palavra do Senhor. Há também o terreno cheio de espinhos, da palavra que cai no coração do homem, e este deixa se levar pelas preocupações, pelas tristezas, e a palavra morre em seu coração.  Outra parte, contudo, caiu em terra boa, e deu fruto, porque o coração se abriu à graça. Ouviram a palavra e não a rejeitaram, mas colocaram-na em prática.

Vejam o grande amor de Deus, que semeia sempre, até no terreno pedregoso e cheio de espinhos, esperando que também nestes terrenos, nestes corações duros e sofridos pela vida, magoados e sem esperança, sua Palavra, possa criar raízes.  Maria nos diz: “Não esqueçais que sois passageiros como uma flor em um campo que se vê de longe, mas que em um instante desaparece”. Assim somos esta flor, que de manhã é bela, e a tarde está seca, e é levada pelo vento. Tudo é breve, tudo passa, nossa vida, como também nossos medos, alegrias e tristezas, mas o que permanece? Apenas o amor! E Maria continua: “Filhinhos, deixai um sinal de bondade e de amor por onde quer que passeis, e Deus vos abençoará com a abundância de Sua Benção”.  

Em um outro texto, eu escrevia que o fundamento da nossa vida é amarmos e sermos amados, a nossa vocação primeira é o amor, é viver no amor, o qual não se reduz ao sexo, ao prazer, ao bem-estar, mas à doação plena, a qual se faz muitas vezes “sacrifício” (palavra  distante e muito estranha em nosso vocabulário atual, mas a palavra sacrifício vem do latim – sacrun facere – que significar “tornar algo sagrado”). Assim, amar muitas vezes é sofrer pela felicidade do outro, sofrer para ser fiel às leis de Deus, é fazer algo, por amor, ou seja tornando-o sagrado e oferecendo-o a Deus. De que adianta dar o meu corpo às chamas, ou falar a língua dos homens e dos anjos se eu não tiver o amor? 

Eis o segredo da vida: “amar!’ deixar o nosso rastro de amor, em cada coração, em cada vida que encontrarmos, passar pelos breves caminhos da vida, não esperando apenas receber amor, mas semando-o ,dando-o, sem esperar retribuição. Muitos não tem a capacidade de retribuir o amor porque foram feridos, ou ainda estão com o coração sangrando pela rejeição e sofrimentos da vida.  Embora, estas pessoas necessitem de amor, se auto-defendem, com medo de serem mais uma vez machucadas pela vida, ou por pessoas que apenas querem usufruir de um coração disposto a amar. Contudo, não podemos deixar de lado a nossa vocação profética ao amor, devemos semeá-lo até nos corações de pedra, devemos ser estes apóstolos do amor, semeando amor em cada coração, em cada um que encontrarmos, sabendo que no tempo de Deus, este amor frutificará, e veremos que tudo ao nosso redor mudará, que até o vazio que muitas vezes assola o nosso coração, a solidão e a angústia, desaparecerão e darão lugar à alegria.  O amor nunca se perde, não desaparece, é eterno, é a resposta para a nossa vida.

Não arrume uma desculpa para deixar de amar, não diga: “Como posso amar se eu mesmo sinto um vazio, uma dor no meu peito?”. Ame sempre! Saiba que só o Senhor pode preencher o teu coração, só o Senhor pode satisfazer as nossas carências, não deixe de amar porque se sente carente e necessitado de amor, ame e este amor voltará a você. NÃO TENHA MEDO DE AMAR, NÃO TENHA MEDO DE TENTAR, NÃO TENHA MEDO DE RECOMEÇAR, NÃO TENHA MEDO DE DEIXAR-SE AMAR, BUSQUE A SUA FELICIDADE! Isto não significa ser escravo das pessoas, perder a  dignidade, os princípios éticos e morais, mas ter o coração aberto e despojado, para deixá-lo ser preenchido pelo amor de Deus e daqueles que querem amá-lo como você é.

Ame sempre, mesmo se estiver com o coração em mil pedaços, com vontade de chorar, sem esperança. Ame sempre, e saiba acolher em tudo de bom que lhe acontecer, um sinal do amor de Deus por você, e lembre-se que somente quando saímos de nós mesmos, e nos abrimos para amar, é que o Senhor poderá curar as feridas, as perdas, a desilusão. Assim, Ele lhe consolará com o Seu amor Eterno.

Certa vez estava conversando com o Padre João Batista reitor do Seminário Diocesano de Santo Amaro, sobre um caso complicado, e ele me dizia: “Devemos amar, não podemos não amar, devemos amar mesmo nesta situação!”. Aquelas palavras entraram em meu coração, e me abriram para amar mais, e decide naquele momento ao amor concreto, independente do que eu estava sentindo, e disse para mim mesmo: “Fernando, perdoe e ame!”, e ainda hoje, quando ocorre qualquer situação que quer me levar aos caminhos não evangélicos, me recordo das palavras do meu amigo.
Que o Senhor vos abençoe: "Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo". Amém!

Pe. Fernando Tadeu
Jornalista

EXALTAÇÃO DA SANTA CRUZ

terça-feira, 4 de setembro de 2018


Sexta feira dia 14 de setembro, comemoramos a Festa da Exaltação da Cruz. A cruz é o sinal revelador da vitória de Jesus sobre o pecado, a morte, o demônio, como também na Cruz,  encontramos o maior sinal do amor de Deus. 

É muito bonito notar que a Gospa caminha com a Igreja nesta mesma fé, e na mensagem do dia 25 de março de 1997, a mãe nos diz: ‘Queridos filhos, hoje eu os convido, de uma maneira especial, a tomar a cruz nas mãos e a meditar sobre as chagas de Jesus. Peçam a Jesus que cure as feridas de seus corações, que vocês filhinhos, receberam durante a vida por causa de seus pecados ou por causa dos pecados de seus pais. Somente assim compreenderam que o mundo necessita de cura, da fé em Deus criador. Através da paixão da morte de Jesus na cruz, compreenderam que somente com a oração, poderão também vocês tornarem-se verdadeiros apóstolos da fé, vivendo na simplicidade e na oração a fé, que é um dom. Obrigada por terdes respondido a minha chamada!”

Esta mensagem vem de encontro com a profecia de Isaias 53,5 que diz “Ele foi ferido por causa de nossos pecados, esmagado por causa de nossos crimes; a punição a ele imposta era o preço da nossa paz, e as suas feridas, foram o preço da nossa cura”. Que grande mistério de dor e de amor, pelas suas chagas nós fomos curados, fomos reconciliados com Deus novamente, o seu sangue derramado foi o preço da nova e eterna aliança.

Neste canto do servo de Javé, podemos perceber uma chave importantíssima – que nos lembra a Gospa - para entrarmos no mistério do calvário, pois lá, foi realizado o maior ato de amor, e a cruz nos testemunha que: “Não a maior prova de amor, do que doar a vida pelos amigos!”

Jesus como o servo de Javé, é escolhido desde o seio materno, é o que sofre calado, carrega o peso e o crime, como sendo o culpado, é inocente e suporta tudo com paciência, sendo ferido de morte pelo seu povo, e pelos nossos pecados. Jesus, o servo sofredor, sofre o mistério do sofrimento, sem ódio ou vingança, salva o mundo pelo seu sofrimento, pela sua misericórdia e amor, para mostrar que a salvação vem do perdão, vem do sangue derramado. Sofre também para nos ensinar que o sofrimento, seja ele físico ou espiritual, é algo de grande valor aos olhos de Deus, quando sofrido, aceito com alegria, com a intenção de sofrer por amor ao Senhor, e unido a Ele. 

Quantas pessoas são taxadas de vidas sem sentindo, como os deficientes físicos, os doentes, os marginalizados. Que imensa multidão também no mistério do Calvário, se une ao servo sofredor, que se encarnou, e encarnando-se em nossa humanidade, assumiu toda a nossa vida, todo o nosso pecado, todo o nosso sofrimento, para dar-nos a oportunidade de ressuscitar com ele, a nossa esperança.
Embora pareça que a experiência da dor, do sofrimento contradiga a boa nova do amor de Deus, destruindo a fé e a esperança, possamos perceber que ela, põem radicalmente em questão o nosso modo de conceber a salvação, a qual como dissemos tem o preço do sangue derramado de forma gratuita e amorosa.
Sem a cruz, podemos dizer que a esperança, é ilusão, é vazia, como também uma cruz sem esperança não é a cruz de Jesus, pois Ele é totalmente solidário conosco, na nossa humilhação, sofrimento e morte, Ele é o Emanuel, o Deus que caminha conosco. A cruz garante para nós, a certeza de não estarmos sozinho em nenhuma situação, pois ela é a nascente de uma nova esperança, de uma nova vida, da esperança de sabermos que hoje vivemos o vale de lágrimas, a paixão, mas que nos colocando, ou melhor, nos deixando pregar do outro lado de sua cruz, e ser elevados com Ele na cruz, podermos ser também elevados com Ele ao paraíso.

Assim diante da dor, não devemos fugir, por medo, por sentirmo-nos impotentes diante dos fatos, mas aceita-la, nos abandonando nas mãos do Pai, como também Jesus se abandonou, sabendo que muitas vezes estas mãos tem a forma de cruz, e como diz Paulo na carta aos Romanos: “Se participamos dos seus sofrimentos, participaremos também da sua glória”.

Jesus morre, e isto para nós não deve ser apenas uma bela frase, mas deve também se fazer em nossa vida, ou melhor, também nós devemos morrer para o mundo do pecado, para as nossas vontades e más inclinações, morrendo com amor, sem rebeldia, pois Jesus nos ama até mesmo quando nós o negamos como Judas e Pedro, com o nosso pecado, quando nós o crucificamos com as nossas atitudes egoístas, quando nós o culpamos pelos acontecimentos desagradáveis em nossa vida, quando nós o traímos servindo aos ídolos oferecidos pela sociedade que prega o hedonismo, o materialismo, o prazer. Mas Ele não nos deixa de amar, e seu amor é tão grande que deixou uma prova, uma cruz, a qual se torna por excelência, o livro do amor de Deus por nós, no qual o Senhor escreve o meu nome, o teu nome por toda a eternidade, mas este livro é apenas capaz de ler aquele que aprende a ler e viver a linguagem da Cruz, do sofrimento na aceitação com alegria e amor.

Se O acolhemos, Ele permanece ao nosso lado, mesmo quando tudo parece escuro, pois os pregos de seu amor, de forma mística, também nos traspassam, e nos une ao seu imenso amor, e com Ele vivemos crucificados, vivendo o mistério do Eterno amor. Se o acolhemos como o Crucificado de nossas vidas, e dizemos o nosso sim, Ele nos dá uma nova vida, um novo batismo em seu sangue, quero dizer, uma nova efusão do seu Espírito, e entrega o seu Espírito Santo sobre nós.
Jesus em uma revelação, disse a Santa Faustina: 

Às três horas da tarde, hora exata da minha morte, implora a Minha misericórdia especialmente para os pecadores, e ao menos por um breve momento reflete sobre a Minha Paixão, e acima de tudo sobre o abandono em que me encontrei no momento da agonia: essa é uma hora de grande misericórdia para o mundo inteiro. Permitirei que penetres na Minha tristeza mortal. Nessa hora não negarei nada à alma que me pedir em nome da Minha Paixão (Diário 1320).

A gospa nos estimula a contemplarmos e rezarmos, a mergulharmos nas chagas de Jesus, pois nas chagas de Jesus está todo o nosso pecado, toda a nossa dor, todo o nosso sofrimento, toda a nossa vida trespassada nas chagas do Senhor e pregada a na cruz, e quando mergulhamos nas chagas do Senhor, mergulhamos no seu amor por nós. Chagas na língua grega significa Typos, impressão, as chagas de Jesus são a impressão do amor de Deus por nós!!! E quando mergulhamos nas chagas, quando nos colocamos espiritualmente diante da cruz, deixamos que o sangue de Jesus nos lave e nos cure, e as graças são derramadas em nós.

Um dos hinos antigos da Igreja na festa da Exaltação nos manifesta a profunda veneração de que era objeto nesse dia a Cruz do Senhor, assim como a confiança depositada nela: “Veneremos a Cruz preciosa, remédio universal e fonte de santidade. É lenitivo das dores, desterra a enfermidade e livra de todo sofrimento os enfermos”. (Constantino VII, Profirogênito).

Na Mensagem da Gospa do dia 12 de setembro de 1985, ela nos diz: "Queridos filhos! Nestes dias (novena em preparação à festa da Exaltação da Cruz), quero convidá-los a colocarem a cruz no centro de su¬as vidas. Rezem especialmente diante da cruz da qual derivam grandes graças. Nestes dias, façam em suas casas uma consagração especial à cruz. Prometam não ofender a Jesus nem à cruz, e não blasfemem. Obrigada por terem respondido à minha chamada" 

Vamos nos consagrar a Cruz, colocar. Todas as vezes que rezo orações de libertação pelas pessoas, percebo que quando colocamos a Cruz do Senhor entre nós e toda a nossa linha hereditária, as maldições são quebradas, as maldades desfeitas, o mal afugentado.

Vamos neste momento como nos ensina a Gospa em sua mensagem, tomar a Cruz em nossas mãos, e nos colocar em espírito diante do crucificado, e rezar pedindo a cura do nosso coração, da nossa alma, da nossa família, pelas chagas de Cristo para nós, a cura física, psíquica e espiritual, vamos rezar no Espírito, imersos nas santas chagas de Jesus, rezando com a oração ensinada pelo Pe. Emiliano Tardif:

“Pai de bondade, Pai de amor, te bendigo, te louvo e te agradeço porque por amor nos deu Jesus. Obrigado, Pai, porque a luz do teu Espírito nos faz compreender que Ele é a luz, a verdade, o Bom Pastor, que veio para que nós tenhamos a vida e a tenhamos em abundância. Pai te peço, antes de mais nada, perdão dos meus pecados.
Senhor Jesus, creio que és vivo e ressurgido. Creio que és presente realmente no Santíssimo Sacramento do altar e cada um de nós que acreditamos em ti. Te louvo e te adoro. Te agradeço, Senhor, por ter vindo a mim, como Pão vivo descido do céu. Tu és a totalidade da vida, Tu és a ressurreição e a vida, Tu, Senhor, és a saúde dos doentes.
Hoje, Pai, quero me apresentar diante a ti como teu filho. Tu me conheces por nome.
Fixa os teus olhos de Pai amoroso sobre a minha vida. Tu conheces o meu coração e as feridas da minha vida. Tu conheces tudo aquilo que gostaria de ter feito e que não fiz; aquilo que fiz e o mal que fizeram os outros. Tu conheces os meus limites, os meus erros e o meu pecado. Conheces os traumas e os complexos da minha vida.
Hoje, Pai, te peço, pelo amor ao teu filho Jesus Cristo, pelas tuas antas chagas, derrame sobre mim o teu Espírito Santo, porque o calor do teu amor salvìfico penetre no intimo do meu coração e me cure. Tu que sanas os corações aflitos e enfaixa as feridas, cure aqui e agora a minha alma, a minha mente, a minha memória e todo o meu espírito.
Entra em mim, Senhor Jesus, como entrastes naquela casa, onde estavam os teus discípulos amedrontados. Tu apareceste em meio a eles e disseste: "Paz a vós". Entra no meu coração e doa-me a paz; enche-me de amor, ajuda-me a perdoar. Nós sabemos que o amor manda embora o temor.
Passa na minha vida e cura o meu coração. Sabemos, Senhor Jesus, que tu o fazes sempre, quando te o pedimos; e eu te estou pedindo com Maria, nossa Mãe, que era ao matrimonio de Canaã quando não tinha mais vinho e tu respondeste ao seu desejo transformando a água em vinho. Transforma o meu coração e me dás um coração generoso um coração afável, cheio de bondade, um coração novo, um coração que sabe perdoar a si mesmo.
Faz germinar em mim os frutos da tua presença. Doa-me os frutos do teu Espírito que são amor, paz e alegria. Que desça sobre mim o espírito das beatitudes, porque possa saborear e procurar Deus todos os dias, vivendo sem complexos e sem traumas junto aos outros, à minha família, aos meus irmãos.
Hoje quero te apresentar todos os meus males, porque tu és igual ontem, hoje e sempre e tu mesmo vens a mim onde me encontro. Tu és eterno presente e me conhece. Agora, Senhor, te peço de ter compaixão de mim. Visita-me pelo teu Evangelho, a fim de que todos reconheçam que tu és vivo, na tua Igreja, hoje; e que se renove a minha fé e a minha confiança em ti; te suplico Jesus.
Tenha compaixão dos sofrimentos do meu corpo, os quais te apresento agora tocando com a minha mão, tem compaixão dos sofrimentos do meu coração e da minha alma. Tenha compaixão de mim, Senhor, me abençoe e faz com que eu possa ser curado e readquirir a saúde da alma e do corpo. Que cresça a minha fé e que me abra às maravilhas do teu amor, porque seja também testemunho da tua potência e da tua compaixão.
Te o peço, Jesus, pelo poder das tuas santas chagas pela tua santa Cruz e pelo teu Preciosismo Sangue. Cura-me, Senhor. Liberta-me. Cura-me no corpo, cura-me no coração, cura-me na alma. Me dás a vida, a vida em abundância. Te peço pela intercessão de Maria Santíssima, tua Mãe, a Virgem das dores, que era presente, em pé, perto à tua Cruz; que foi a primeira a contemplar as tuas santas chagas, e que tu nos deste por Mãe.
Tu nos revelou de ter pegado as nossas dores e pelas tuas santas chagas fomos curados. Hoje, Senhor, te apresento com fé todos os meus males e te peço de curar-me completamente, acredito Senhor que neste momento impõem as tuas mãos sobre mim, e me tocas com as tuas santas chagas, envolvendo-me em teu amor, em teu calor que me cura.
Te peço, pela glória do Pai do céu, de curar também do doentes da minha família e os meus amigos. Faz que cresçam na fé, na esperança e que readquiram a saúde pela glória do teu nome. Para que o teu reino continue a estender-se sempre mais nos corações através dos sinais e os prodígios do teu amor.
Te agradeço, o Pai, por aquilo que hoje estás fazendo na minha vida. Te agradeço com todo o coração, porque me curas, porque me livras, porque quebras as minhas correntes e me doas a liberdade.
Tudo isto, Jesus, te pedimos porque és Jesus. Tu és o Bom Pastor e nos todos somos as ovelhinhas do teu rebanho.  Sou certo do teu amor, que antes ainda de conhecer o resultado da minha oração, te digo com fé: obrigado, Jesus, por tudo aquilo que farás por mim e por cada um deles. Obrigado pelos doentes que estás curando agora, obrigado por aqueles que estás visitando com a tua Misericórdia.
Obrigado, Senhor Jesus, porque sou templo do teu Espírito e este templo não se pode destruir, porque é a casa de Deus. Te agradeço, Espírito Santo, Deus Trio e Um! “Que tu sejas abençoado e louvado, o Senhor.”

Pe Fernando Tadeu Barduzzi  Tavares
Jornalista 0083521/SP
padrefernandotadeu@gmail.com

Exorcismo, Obsessão e Possessão

terça-feira, 28 de agosto de 2018


Inicio esta meditação com o texto que comenta a visão de Leão XIII  (crescente atuação diabólica no mundo). 

"São Miguel Arcanjo, protegei-nos no combate, sede nosso auxílio contra a malícia e ciladas do demônio. Ordene-lhe Deus, instantemente o pedimos, e Vós, Príncipe da milícia celeste, pelo divino poder, precipitai no inferno a Satanás e os outros espíritos malignos que vagueiam pelo mundo para perder as almas."  

Como nasceu esta oração? Transcrevo o artigo escrito pelo Pe. Domenico Pechenino na revista Ephemerides Liturgicae, 1955, pp. 58-59. “Não lembro exatamente do ano. Uma manhã, o grande Pontífice Leão XIII tinha celebrado a Santa Missa e estava  assistindo uma outra Missa de Ação de Graças, como de costume.

 De repente, ele virou energicamente a cabeça, depois de ter olhado qualquer coisa intensamente, sobre a cabeça do celebrante. Finalmente, voltando a si, bate ligeira, mas energicamente com a mão, levanta-se. Dirige-se ao seu escritório particular. Daí a uma meia hora manda chamar o Secretário da Congregação dos Ritos e estendendo-lhe uma folha de papel, manda fazê-la imprimir e enviar a todos os Ordinários do mundo. Que assunto continha? A oração que rezávamos no fim da Missa com o povo."  

Saibamos que embora se divulgue tanto o mal e se fale tanto de Satanás, a história corre para o bem do homem e a última palavra é sempre a de DEUS. 

De Satanás se fala sempre, mas com uma visão de dois pontos extremistas. Alguns afirmam que ele não existe, e outros vêem Satanás em tudo. Ambos estão errados.

Maria em Medjugorje continuamente nos alerta sobre a existência de Satanás, dizendo:

"Nestes dias Satanás está preparando-se para colocar obstáculos a fim de impedir os meus projetos. Orai para que não se realize o seu intento."  Mensagem de 12/07/84.
"Nestes dias, podeis perceber o quanto Satanás está ativo." Mensagem de 19/07/84.
"(...) Sede pacientes e perseverantes nas orações, não permitais que Satanás vos enfraqueça".  Mensagem de 14/01/85.

Quase ninguém quer acreditar na existência de Satanás porque se ele não existe, não há o perigo de eu me perder e ir para o inferno. Se ele não existe, posso tudo. Mas o Catecismo da Igreja Católica nos alerta dizendo:

§1035 O ensinamento da Igreja afirma a existência e a eternidade do inferno. As almas dos que morrem em estado de pecado mortal descem imediatamente após a morte aos infernos, onde sofrem as penas do inferno, "o fogo eterno". A pena principal do inferno consiste na separação eterna de Deus, o Único em quem o homem pode ter a vida e a felicidade para as quais foi criado e às quais aspira.

Já dizia o Santo Padre Paulo VI na sua alocução papal de quarta-feira, 15 de novembro de 1972: “o mal, não é somente uma deficiência, mas uma eficiência ativa, um ser vivo, espiritual, pervertido e perversor. Terrível realidade. Misteriosa e amedrontadora.  Sai do quadro do ensinamento bíblico e eclesiástico quem rejeita reconhecer a sua existência”.

 O Demônio é mencionado freqüentemente no Primeiro Testamento, por exemplo, no Livro de Isaías: “Como caíste do céu, ó astro brilhante, que, ao nascer do dia, brilhavas?” (Is 14, 12). 
O Apocalipse -- o último livro do Novo Testamento, escrito pelo Apóstolo São João Evangelista -- assim descreve a queda de Lúcifer e dos anjos rebeldes: 

“E houve no Céu uma grande batalha: Miguel e os seus anjos pelejavam contra o dragão, e o dragão com os seus anjos pelejavam contra ele; porém, estes não prevaleceram; e o seu lugar não se achou mais no Céu. E foi precipitado aquele grande dragão, aquela antiga serpente, que se chama o Demônio e Satanás, que seduz todo o mundo; e foi precipitado na terra, e foram precipitados com ele os seus anjos.” (Apoc. 12, 7-9). 

O Novo Testamento é cheio de passagens que revelam a ação e o poder de Satanás; este é um dos motivos que se torna difícil negar a sua existência. Se nego a existência de Satanás, automaticamente nego a encarnação de Jesus Cristo, que veio para vencer a morte, vencer Satanás, libertando o homem de seu poder.

Nos Evangelhos vemos a figura de Satanás que tenta Jesus no deserto, que entra na manada de porcos, que possui Judas e o leva a agir contra Jesus, etc. 

Incapazes de amor, os Demônios encontram-se ligados pelo ódio mútuo e ódio a todas as coisas. Por isso, tramaram também a perdição do gênero humano. 

Satanás busca afastar o homem de Deus, e muitas vezes consegue, fazendo com que ele não acredite em sua existência satânica. Outras vezes coloca tanto medo no homem, que este o vê em tudo, e o pior é quando usa de pseudos profetas, que pregam mais a presença de satanás do que o amor de Deus, e querem com a sua pregação que as pessoas se convertam por medo e não por amor, tudo porque são eles por primeiros desequilibrados. 

A primeira proposta de Satanás  foi a de tentar seduzir Adão e Eva: “Sereis como deuses conhecendo o bem e o mal.” (Gn 3, 5).  Contudo, deixaram seduzir-se.

Maria nos alerta: “hoje vos convido a entrar em luta contra Satanás por meio da oração.”   Mensagem de 06/08/85.

Os Demônios conspiram contra o homem porque não podem tolerar que ele tenha sido redimido pelo Verbo Divino. Este que se encarnou no seio puríssimo de Maria, unindo-se à natureza humana e sendo homem e Deus, morreu em uma cruz.

O pecado original foi uma vitória de Satanás sobre o homem, mas a Redenção foi a vitória de Jesus Cristo sobre Satanás. Assim, Deus não consentiu que o Demônio arrastasse todos os homens para o seu reino. 

  Vemos que a melhor estratégia de Satanás é confundir o homem moderno sobre a sua existência e sua ação. 

É doutrina da Igreja a existência dos anjos, os quais foram submetidos à prova.  Alguns deles se rebelaram contra Deus, perderam e ficaram fora da graça do Senhor. Outros, contudo, permaneceram fiéis.

Os anjos que se rebelaram são os anjos maus, embora possuam a liberdade de escolha e os dons naturais dados a eles. Todavia, eles têm sua natureza prejudicada por causa de sua má escolha.
    O Catecismo da Igreja no parágrafo §414 diz:

    "Satanás ou o Diabo, bem como os demais Demônios, são anjos decaídos por terem se recusado livremente a servir a Deus e a Seu desígnio. Sua opção contra Deus é definitiva. Eles tentam associar o homem à sua revolta contra DEUS."

    E o mesmo Catecismo continua dizendo no parágrafo§392:
     A Escritura fala de um pecado desses anjos. Esta "queda" consiste na opção livre desses espíritos criados, que rejeitaram radical e irrevogavelmente a Deus e Seu Reino. Temos um reflexo desta rebelião nas palavras do Tentador ditas a nossos primeiros pais: "E vós sereis como deuses." (Gn 3,5). O Diabo é "pecador desde o princípio" (1Jo 3,8), "pai da mentira" (Jo 8,44). 

A Igreja nos ensina que temos Anjos da Guarda, os quais são designados por Deus a nosso favor e contra as investidas dos anjos maus contra nós.

Os Demônios, contudo, querem exercer sua influência contra nós, e por isso nos atacam com as tentações. Mas não podemos dizer que tudo é tentação do Demônio contra nós, pois grande parte do mal que sofremos ou padecemos, é causado por nós mesmos, pelos nossos atos concretos contra o amor de Deus, os quais geram as conseqüências.

O Demônio não tem o poder de mover alguém a fazer algo, ele apenas estimula e deixa o homem livre para agir – nem Deus age contra a liberdade do homem. O problema é que o homem na sua ignorância pensa ser inteligente e   mais forte ou até mais inteligente que o Demônio.

O Demônio age de modo sutil, embora use de toda a sua inteligência brilhante e ao mesmo tempo satânica para levar o homem à perdição. Porém, mesmo com tanta força, sua ação diabólica não é determinante sobre o homem.  Ele age em uma esfera periférica da alma, age no nível da imaginação, do sensitivo do homem. Ele pode tentar com maus pensamentos, mas não forçar.

A Igreja nos diz que existe a Infestação, a Obsessão e a Possessão.
Estas três formas de manifestações são possíveis e acontecem de fato, mas é errôneo dizer que são freqüentes, como também é um erro dizer que o Demônio não interfere na humanidade.  É heresia dizer que ele não existe, e se digo isto estou fora da comunhão da Igreja.

A Igreja acredita nisso e desenvolveu o Exorcismo, que é um sacramental, isto significa que age com o poder de Cristo através da impetração e intercessão da Igreja. 

Digo tudo isto para afirmar que nós que seguimos a Gospa, e graças a Deus no Brasil já temos mais de 50 Grupos de Oração na Espiritualidade de Medjugorje, pois ao contrário do que andei escutando por pessoas desequilibradas que querem se aparecer e se promover em nome da Gospa, e ficam dizendo que ’NO BRASIL NÃO SE REZA MAIS!” Me desculpe, “NO BRASIL SE REZA SIM!”. Nossos grupos, não são formados, por fanáticos que se dizem ‘ ser chamados por Maria para serem a ‘salvação do Brasil’, graças a Deus, não temos esta arrogância, pois sabemos que é Deus que nos salva na sua Misericórdia, da nossa parte só podemos contribuir com os seus projetos de amor vindos hoje pelas mãos da Rainha da Paz. Nossos Grupos de Oração não são formados por pessoas que vivem seguindo sinais catastróficos, e nem pensam que tudo é atuação  demoníaca.. 

A IGREJA CATÓLICA não é uma seita pentecostal que faz exorcismo em qualquer um, pois não é movida nem por ibope de televisão e nem por dinheiro. Para que se faça um exorcismo, são necessários que todos os sinais visíveis sejam estudados cientifica e psicologicamente, buscando-se todas as causas naturais.   Após tais exames, se não se encontrar nenhum sintoma a nível patológico ou psicológico, o caso será investigado pelo bispo local,  que deverá julgá-lo.

A Igreja nos diz que a Infestação é a ação do Demônio em um lugar. É interessante que Maria em Medjugorje nos diz na mensagem de 18/07/85 “(...) Recomendo que cada pessoa leve consigo um objeto bento. (...) Assim Satanás vos tentará menos(...).” 

A Obsessão é a ação do demônio em uma pessoa de forma externa (exemplo: o Cura d’Ards apanhava do Demônio ) e Maria nos diz “rezai,  filhinhos, para que Satanás não vos seduza com seu orgulho e falso poder.” Mensagem de 25/11/87.

Possessão é  a posse do Demônio pelo corpo da pessoa e o uso de suas faculdades sensitivas, mas nunca a posse da alma. O Demônio possui a pessoa de forma mecânica, corporal – casos raros.

O Demônio está abaixo do poder de Deus, por isso não devemos ter  terror, mas também não devemos brincar com ele. Santo Agostinho dizia que o Demônio é um cão que está amarrado e late, mas só morde quando alguém se aproxima.

Devemos estar atentos para poder identificar as ciladas de Satanás, pois ele é um ser que caiu por soberba, imagine só: Você acha que um ser orgulhoso, cheio de soberba ficará se estrebuchando em um palanque de uma seita pentecostal? Eu acho que ele tem maneiras mais sofisticadas para agir.   Pode até servir-se daqueles que fazem teatrinho para enganar os outros a caírem em falsas doutrinas ou até mesmo no esoterismo. Quando acontecem esses showzinhos, o Demônio permite que aconteçam esses teatrinhos. Enquanto isto, ele induz os homens ao mal, de modo que estes não percebam, pois o seu mal é mais amplo e mais profundo.

Devemos estar atentos e rezar para não cairmos em tentação.
Maria nos diz:
"(...) Com o Rosário vencereis a Satanás (...)"  Mensagem de 25/06/85.
"(...) Hoje vos convido a entrarem em luta contra Satanás por meio da oração."  Mensagem de 06/08/85.
"(...) Convido-vos hoje à oração e ao jejum. Sabei, filhinhos, que com a vossa ajuda Eu posso fazer tudo, posso constranger Satanás a não introduzir-vos ao mal (...)."  Mensagem de 04/09/86.
"(...) Satanás deseja afastar-vos de Deus através de coisas cotidianas, de modo que passem a ocupar o primeiro lugar em suas vidas."  Mensagem de 16/10/86.
"(...) Rezai e não permitais que Satanás possa agir em vossas vidas através de mal entendidos, incompreensões, falta de aceitação de uns para com os outros."  Mensagem de 25/01/90.

Nós, como filhos de Maria, devemos ser verdadeiros soldados de Cristo, armados com o Rosário na mão, contra Satanás e seus Demônios. Devemos estar atentos também com aqueles que buscam ensinar falsas doutrinas contrárias ao Magistério da Igreja – a estes não devemos dar ouvidos.

Como Grupo de Oração, devemos ser perseverantes para não nos deixarmos levar por Satanás, e para não cairmos em exageros de vê-lo em tudo e em todos – pois o Grupo se reúne para rezar e não para assistir a showzinhos de manifestações diabólicas feitas por mulheres mal casadas, problemáticas e estéricas.

Ninguém é chamado a fazer orações de libertações e ficar impondo as mãos sobre os outros, dizendo: “Sai Demônio”.  Nenhum leigo é autorizado a tais ministérios reservados a eclesiásticos.

Por fim, gostaria de dizer que devemos estar muito atentos para não nos deixarmos seduzir por Satanás, ainda mais nós, que somos filhos de Maria. Lembremos que onde está Maria, ali também está Satanás para tentar destruir os Seus filhos.

Já que Satanás não conseguiu destruir Maria, tentará nos destruir. Contudo, saibamos que a Virgem nos disse que com a oração do Rosário podemos parar as insídias do Demônio e bloquear sua ação maléfica.

Confiemos na Misericórdia de Deus, que nos dá seu livramento a todo o momento, por nos amar imensamente e incondicionalmente.
Os leigos não podem fazer o exorcismo sobre os outros, mas podem exorcizar a presença do mal sobre a sua própria vida,por meio da autoridade que Jesus deu a sua Igreja, com o “MANDATUM”. Então se você deseja colocar em fuga o mal que possa estar presente em tua vida, ou ao teu redor, reze a oração do Mandatum: “Em Nome do Pai e Do Filho e do Espírito Santo, eu te ordeno espírito imundo, pelo Sangue de Jesus Cristo, derramado na Cruz, pelas suas Cinco Chagas, como batizado (a), que sou, na presença do meu anjo da guarda e de Maria minha mãe, eu te ordene em Nome de Jesus, se afasta de mim agora, sem fazer mal a mim e a ninguém, e te proíbo de regressar, indo para os pés de Jesus para que Ele disponha de ti como quiseres, em nome do Pai e do Filho e Espírito Santo. Amém!

Pe Fernando Tadeu Barduzzi  Tavares
Jornalista 0083521/SP

ORAÇÃO EM FAÍLIA

segunda-feira, 27 de agosto de 2018


A ORAÇÃO EM FAÍLIA

Nossa Senhora em sua mensagens nos chama a repensar o modelo de família, como a família de Nazareth. Todos nós somos chamados a repensar a nossa vida de família e ver o que está errado, e embora temos que trabalhar, onde e como, arrumar tempo para estarmos juntos, para rezar, para viver o amor!

 “Hoje eu os convido a renovar a oração em suas famílias. Queridos filhos, encorajem os mais jovens à oração e à irem à Santa Missa”. (07 de março de 1985). Em diversas mensagens a Gospa nos chama a rezar em família, mas infelizmente, por causa de tanto egoísmo, quase não mais, existe a família, e sim muitas vezes, duas pessoas que se unem e vão trabalhar em lugares diferentes, falam um pouquinho à noite, vão dormir, ficam com os filhos de vez em quando e vida que segue.  

A Gospa nos pede para renovar a oração dentro da família, como forma de viver mais a presença de Deus no meio, e sobre tudo, ter mais união, pois a família hoje não reza mais, não vive mais junta, o pai vai na sala com o prato na mão jantar assistir o futebol, a mãe sobe pro quarto pra ficar com o celular na mão mandando mensagens, e os filhos ficam na mesa comendo sozinhos, ou brigando pra chamar a atenção dos pais infantilizados.   Se nós queremos fazer o que Ela está pedindo devemos seguir a exigência, da oração em  família, e assim a família não permanece junta e menos ainda reza junta.  Quando eu era criança, rezava com a minha família, e rezava como criança, uma oração verdadeira, pura e acreditava naquilo que dizia. Depois cresci e aquela oração se tornou difícil, não queria rezar mais, aliais, no crisma ia para ver as meninas, mas quando rezava fazia as minhas perguntas para Deus, era um motivo para conhecer a fé que estava recebendo de meus pais e da Igreja também. 

Hoje muitos jovens não recebem esta noção de fé, da parte da família, nem das instituições. Muitas vezes nem da Igreja, porque também não freqüentam.  Nesta era da tecnologia, sabemos comunicarmo-nos com o mundo inteiro, por meio do Watzap, da internet, das vídeos conferências, mas quando chega a hora de nos comunicar com Deus nos embananamos todos, pois o linguajar de Deus, muitos desconhecem. 

Não vamos colocar a culpa na Igreja, embora nela também tenha pessoas que nem sempre dão testemunho, e que infelizmente usam-se dela para ser alguém na vida, mas a educação deve nascer na família que é a primeira célula, e se lá a criança não recebe as bases para amar Jesus fica difícil. Mas isto só pode acontecer se a criança vê que a oração é também fruto do amor do pai e da mãe, se a criança vê um pai e uma mãe que também reza, que também vai para a Igreja, pois mandar o filho para a catequese, a missa ou a crisma e não ir, é mera hipocrisia é cavar a cova do agnosticismo no coração do jovem.

Os filhos querem ver os seus pais juntos, rezando juntos, se amando, e não brigando, e quando a criança vê, o pai e a mãe que reza, qure se ama, ela se fortalece no amor, ela fica segura interiormente, a segurança nasce na criança quando ela vê os pais que se amam e rezam. Os pais hoje só dão coisas materiais e os filhos são acostumados a comprar tudo. Tudo é lícito, mas o erro não é da Igreja, é da família, é do pai e da mãe que não sabem educar.

O que vemos hoje de libertinagem é fruto da família de ontem que não soube educar os jovens de hoje. É uma família que talvez tenha um enfeite de religião ou uma fé mais sentimental, e não uma fé baseada no Magistério da Igreja e na Palavra de Cristo. Ainda hoje somos levados às emoções e não a uma fé madura.

 Maria chama à família a rezar junta e não só a esposa ou o marido, mas de estarem unidos e apresentarem aos filhos a sua unidade através da oração.  Já que fazem trabalhos diferentes, podem pelo menos uma vez por dia se unirem e rezarem juntos. Foi muito bonito na minha Paróquia São Lucas Evangelista, um casal que testemunhou, que na missa do natal, vendo a sagrada Familia, no presépio juntinha, sentiram no coração, que embora trabalhassem o dia todo, ela a Josi, ajudando o seu marido Damião no mercado, independe de tudo, decidiram, também fazer da sua família um espaço sagrado, todos os dias, a noite tirando um tempo antes ou depois da janta ou do estudo com as crianças, rezarem o terço todos juntos.

Na família não pode haver uma dicotomia entre a oração e a vida normal, não se pode rezar como um santo e ser um corrupto pagão no trabalho. O que hoje acontece é o que acontecia no passado, e se o mal se abriu mais, é por causa que as famílias incentivaram os filhos para o mal. Mas a família, é chamada a educar os filhos no Amor a Deus, na Santidade, para se colocarem a serviço dos irmãos, para fazerem um caminho de conversão, e descobrirem o que Deus quer deles.

Estes dias estava lendo a história da vida de Elisabete Marco Folho, uma jovem que se ofereceu a Deus e que Deus tomou a sério a sua oferta. Então começou a tirar dela a capacidade de caminhar, depois Deus tirou o tato, a palavra, o ouvido e os olhos, e por fim quando não tinha mais nada a pegou consigo.  Porém,  às pessoas que iam visitá-la, ela continuava infundindo a coragem porque era ela que tinha pedido a Deus  tomar tudo dela, para  converter o mundo. Deus leva a sério o que falamos, de palavras oferecemos muito, mas quando Deus toma a sério o que pedimos nos rebelamos e dizemos 'isto eu não quero'.  Queremos uma cruz à nossa imagem e semelhança, não queremos a cruz que Deus quer nos dar, mas uma cruz a minha imagem e semelhança. Queremos uma cruz para aparecer.

Este ano na nossa diocese de Santo Amaro o Bispo dom José Negri, abriu o Biênio da Juventude, para podermos incentivar os jovens, para a igreja de Santo amaro se abrir e ir em busca dos jovens, e como é preciso este caminho, pois o jovem tem sede de algo no seu coração, para preencher o vazio, só não sabe que é Deus este algo, um grande exemplo foi também Santo Agostinho que não era um santo antes da conversão convivia com uma mulher, possuía um filho e depois se converteu. 

Se eles podem porque nós não podemos? Na conversão existe a graça de Deus, mas também a tua vontade, pois Deus não age contra a tua vontade. O problema é que nós não somos educados com Deus, mas  Ele é conosco. Deus não pretende nada, Ele só quer que nós O aceitemos por amor.

 Lembremo-nos, irmãos, que o que podemos oferecer de nós a Deus é o nosso pecado, porque o resto é sempre graça de Deus. Temos também uma oportunidade magnífica de oferecer algo a Deus, é a dor e o sofrimento pessoal, o qual não escolhemos. Se conseguimos pegar esta dor e oferecer a Jesus, tudo mudará. Iniciarei a ajudar a minha família através destes atos de amor, que também nos tornarão mais humildes. É bom dizer que não existe um santo que não seja humilde, pois, este é primeiro degrau para podermos escutar a voz de Deus.  

Sem a humildade, não seremos santos. E isto vale muito para muitos que dizem seguir Medjugorje, que chegam até o ponto em sua ‘loucura’, banhar a imagem de Nossa Senhora, com o seu ‘olhinho de rosas’ para ela ficar ‘suada’ de ‘óleo milagroso’, e saem dizendo que o milagre aconteceu e a imagem está vertendo óleo, isto para se aparecerem e ganharem a estima do povo simples, pra atraírem pessoas para si, como ‘santos’; mas como químico que sou, gostaria muito que estas pessoas antes de dizerem e afirmarem o ‘pseudo milagre’, mandassem este ‘óleo milagroso’, para ser analisado em laboratórios químicos sérios, reconhecidos pela comunidade científica, assim veríamos com o laudo, o que a análise laboratorial mostraria, se este óleo é um óleo com propriedades realmente de origem sobrenatural, ou nada mais é que óleo mineral, ou azeite com essência de rosas sintéticas misturados. Além do que seria muito bom saber o que a Igreja, na pessoa no bispo diocesano pensa de tudo isto, pois antes de declarar um milagre, deveria primeiro sê-lo pela Igreja, testificado por Ela. Só acredito se ver u documento na mão, de palavras mentirosas e falsas cansei de escutar. De fatos manipulados e tendenciosas, usurpando a fé simples, não suporto mais!!!

Maria então nos convida a ser família que se torna testemunha do amor de Cristo. Como podem os outros descobrir Jesus se nós não falamos de Jesus a todos?

Maria te pede para ser testemunha, neste mundo sem oração e sem paz, para que o teu testemunho possa falar de Deus. Saibas que na situação mais terrível que possa existir, se nela tu não encontras o amor, coloca o teu amor, e tudo mudará. Sejamos este amor de Deus no mundo, é o que Maria nos convida. Nos preparemos para Páscoa, com o coração aberto para amar, e sobre tudo com a oração em família!!

Pe Fernando Tadeu Barduzzi  Tavares
Jornalista 0083521/SP

Mensagem de Nossa Senhora no dia 25 de agosto de 2018

sábado, 25 de agosto de 2018


Queridos filhos! Este é um tempo de graça. Filhinhos, rezem mais, falem menos e permitam a DEUS guiá-los no caminho da conversão. EU estou com vocês e os amo com Meu Amor Maternal. Obrigada por terem respondido ao MEU CHAMADO.

“Evenu Shalom Alejem!” – “Que a Paz esteja convosco!”

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

         

No dia 11 de Agosto de 2006, no monte Podbrdo às 22 hs, Nossa Senhora Rainha da Paz, nos deixou mais uma mensagem através do vidente Ivan. 

Segundo o vidente,   logo que Maria apareceu, saudou-os com as seguintes palavras: "Seja louvado Jesus, queridos filhos meus!". Depois Ela rezou um pouco com o vidente e disse:
"Filhinhos, também hoje vos convido a rezar pela paz.  Rezai pela paz no mundo e pela paz nas vossas famílias! Obrigada, filhinhos, por terdes respondido a minha chamada!" A Virgem Maria rezou com Suas mãos entendidas sobre todos os presentes e por Suas intenções. Ela rezou com o vidente e o povo o Pai Nosso e o Glória ao Pai, e partiu dizendo: "Caminhai na Paz, filhinhos meus!"


É com este desejo da Paz para o mundo, para as nossas famílias e em nosso coração, que desejo meditar convosco esta mensagem de Nossa Senhora, a Rainha da Paz.   Gostaria de pedir neste momento a Maria que, também sobre nós, ela estenda as Suas mãos, e reze por nós para que iluminados pelo Espírito Santo, mergulhemos na paz, aprofundando no mistério do Senhor, que é o rei e o doador da Paz. Hoje vos dou uma nova chave hermenêutica sobre a paz. No Antigo Testamento, a palavra “Shalom” - que tem como uma das possíveis traduções “Paz” -  tinha como símbolo e imagem para o povo escolhido, a cidade santa de Jerusalém. Isto porque lá havia o Templo do Senhor, a presença do Santo dos Santos, o Senhor Todo-Poderoso.

No Salmo 122, o salmista canta: “Que alegria quando me disseram: ‘Vamos à casa do Senhor!’ E agora os meus pés estão diante das tuas portas, Jerusalém. Para ti acorrem as tribos, as tribos do Senhor, segundo a lei de Israel, para louvar o nome do Senhor. Desejai a paz a Jerusalém: ‘Estejam em segurança os que te amam! Haja paz dentro de teus baluartes e tranqüilidade em teus palácios!’ Por causa de meus irmãos e amigos, alegro-me em dizer: ‘A paz esteja contigo!’” Já no salmo 147,12-14, o salmista canta: “Glorifica o Senhor , Jerusalém! Pois o Senhor estabelece a paz em tuas fronteiras, sacia-te com a flor do trigo.”

Os salmos acima citados, mostram a alegria do salmista que conclui  sua peregrinação diante da cidade da paz, a cidade Santa de Jerusalém.  Nós também somos peregrinos neste mundo, em busca da Paz, do amor e da felicidade (e nós do “Eco de Medjugorje”, estamos até com uma peregrinação marcada para este ano pra terra Santa). Nós  buscamos Deus e caminhamos rumo a Jerusalém celeste, para o encontro último e decisivo de nossas vidas, para o encontro com o Nosso Senhor, o rei da Paz, o único capaz de dar aquilo que o nosso coração necessita. ele que é o médico dos médicos, o Senhor dos senhores.

O mundo pede a paz, mas vos pergunto, que paz é esta? A paz feita de tratados meramente humanos, ou a verdadeira paz? A paz que Jesus veio nos dar, é a paz do coração, é a Sua presença em nós! Mas quanto sacrifício muitas vezes de nossa parte, para permanecermos Nele!

Na língua hebraica o contrário de “shalom” é a palavra “hamas”, que significa “violência”, isto para entendermos que se não estamos em paz, é porque algo está violentando o nosso coração, os nossos sentimentos, o nosso ser. Por este motivo, perdemos muitas vezes a paz interior, pois deixamos as situações, pessoas e coisas entrarem em nosso coração, tomando o lugar da paz, que é própria de Jesus. Lamentavelmente deixamos o nosso coração ser arrombado pela inquietude, preocupação, medo, frustração, depressão e desespero, esquecendo-nos que é “Jesus a nossa verdadeira Paz” (Ef 2,14), que é Ele que nos conduz, se a Ele entregamos a nossa vida.

  Alegra-me pensar, e para mim é um forte testemunho, que Maria viveu todo o sofrimento em paz, porque tinha a certeza que estava fazendo a vontade de Deus. Ela olhava todas as situações com o olhar da fé e permaneceu unida ao Senhor, entregue em Suas mãos, tendo no coração a verdadeira paz, que a deixava livre e confiante diante de toda a provação. Na vontade do Senhor está a nossa paz!!! Se caminhamos com este olhar não teremos dificuldade em viver interiormente a paz, pois nenhuma situação exterior será capaz de tirá-la de nós.  É por isso que os mártires derramavam  seu sangue com profunda paz  interior, em meio a tanta tribulação e agitação.

Se o nosso coração não se encontra neste momento em paz, mas está agitado por tantas tempestades da vida, lembremo-nos da mensagem de Maria que diz: “Queridos filhos, rezai até que a oração se torne alegria para vós!” Na tribulação, na agitação, nada melhor que parar e rezar, para abrir o coração à paz do Senhor. “(...) Filhinhos, a paz é um dom precioso de Deus, procurai-a, pedi e a recebereis. Falai da paz, levai-a em vossos corações, e cuidai dela como uma flor que necessita de água, ternura e luz. Sede aqueles que levam a paz aos outros!” (Mensagem de 25/02/03). 

Maria nos pede para rezarmos pela paz, pois como Ela disse na mensagem de 25 de janeiro de 2003, “Convido-vos a rezar pela paz, especialmente neste momento em que a paz está em crise. Vós sois aqueles que rezam e testemunham a paz. Filhinhos, sede paz neste mundo inquieto!”

Nossa Senhora deseja que a paz  seja algo difusivo em nossa vida, e isto é simples, basta vivê-la e anunciá-la. Aqueles que a receberem, também a anunciarão. Neste momento recordo de um grande sinal que o Senhor me deu. Tenho o costume, em qualquer conversa seja por telefone ou pessoalmente, saudar conhecidos e desconhecidos, com a frase: “A paz!”, e  recordo que certo dia, o meu coração não estava em paz, estava atribulado, muito preocupado e tomado de agitações, quando fiz uma ligação para um depósito de materiais de construção, e a balconista percebeu que eu não a saudei como fazia sempre. Então ela me disse: “Padre Fernando, desejo-lhe a Paz do Senhor!”, naquele momento percebi que era o próprio Senhor, por meio dela, me dando a paz que o meu coração inquieto desejava, e lhe respondi: “Amém! E contigo também!” Foi como que se dissolvesse o grande iceberg que em mim estava, e a palavra do Senhor que diz: “Anunciai a paz, pois onde houver um morador que busca a paz, ali, ela habitará!” Vejam como é simples construirmos a paz no mundo.

O Santo Papa João Paulo II, no fim da sua vida, quando estava praticamente impossibilitado fisicamente, disse diante de seus colaboradores: “Não importa o que estou sofrendo, mas que cada passo que eu der, possa levar a Paz e a reconciliação!”. Que este possa ser o nosso ideal!!!! Sejamos mensageiros de Paz!!!!! E como é triste ver que muitos que dizem ter nascidos em Medjugorje, e seguidores desta espiritualidade, vivem fechados no seu mundinho, em quatro paredes de uma vida reclusa, se achando melhores do que os outros, dizendo que rezam, mas na realidade, vivem falando mal da vida dos outros, criando “Hamas” ou seja “violência”, quando vejo pessoas assim, me pergunto: a qual Deus estão rezando? Quando uma pessoa com a sua vida, não cria paz, com sua palavra não gera paz, reza ao deus que é a si mesmo, ou a um deus criado para si, um deus imaginário, por isso uma fé alienada!

A Mensagem que Maria nos dá, é a mensagem de paz, a qual nos convida `a oração, à conversão para podermos ter paz no coração, a nos reconciliar com os irmãos. O nosso amado Papa João Paulo II, nos dizia que “a oração e a conversão, são os fundamentos da paz.”  Logo, acolhamos o convite da Mãe do Céu!
Amigos, e filhos espirituais, me despeço desejando-vos a paz, “Evenu Shalom Alejem!”                   
            

Oremos: Mãe Santíssima, obrigado por tanto amor!!!!
Obrigado por acompanhar- nos  neste caminho rumo ao Senhor que é a verdadeira paz, e ajuda-nos, Mãe, a caminhar de modo progressivo, a crescermos na paz, para que nada nos tire da presença do Senhor, da Sua paz e do Seu amor. Coloca neste momento as tuas mãos sobre nós, para que tudo o que nos tira da paz, possa ser motivo de abandono e confiança em tuas mãos.
Dá-nos a paz de Jesus, não somente em nosso coração, mas sobre todos os nossos entes queridos, e principalmente sobre aqueles que estão sofrendo a dor física e moral, a dor da guerra, da perda e da injustiça. Te consagramos Mãe Santíssima, todos os grupos de oração nascidos em Medjugorje,  te consagramos também os centros que promovem a paz, e de modo especial pedimos-te pelo Eco de Medjugorje, para que possam ser em nosso Brasil, anunciadores de Paz.  Amém!!!

Deixo-vos, neste momento, a bênção do Senhor: “Que o Senhor vos dê a paz  e que Maria, a Rainha da Paz, vos proteja, console, e vos leve sempre estreitos em Seu colo materno, que o Senhor vos abençoe: O Pai, e o Filho e o Espírito Santo”. Amém!!!

Pe. Fernando Tadeu 
Jornalista 0083521/SP
padrefernandotadeu@gmail.com

Missa dos 37 anos de Apariçoes da Rainha da Paz e mensagem de 25/06/18

sábado, 30 de junho de 2018

Segue o link da Transmissão da Missa na Rede Vida dos 37 anos de Aparições de Nossa Senhora em Medjugorje: https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2205288182819396&id=137168472964721

Mensagem de Nossa Senhora no dia 25 de junho de 2018 - Vidente Marjia Pavlovic. 

Queridos filhos! Este é o dia que o SENHOR me deu para LHE dar graças por cada um de vocês, por aqueles que tem se convertido e aceitado as Minhas mensagens, e tem se colocado no caminho da conversão e da santidade. Regojizem-se, filhinhos, porque DEUS é misericordioso e ama vocês todos com SEU imensurável Amor, e os guia pelo caminho da salvação através da Minha vinda aqui. EU amo vocês todos e lhes dou o MEU FILHO para que ELE possa lhes dar a paz. Obrigada por terem respondido ao Meu Chamado.


Hoje 22/06 Tribuna ao vivo sobre as Aparições da Rainha da Paz

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Olá Queridos irmãos, hoje dia 22/06 eu Padre Fernando Tadeu, estarei ao vivo na Rede vida de TV, no programa Tribuna Independente, com o meu amigo Fabio Perpinelli, Falando sobre as aparições de Nossa Senhora em Medjugorje, as 20:30hs, não perca.

25/06 Aniversário das Aparições de Nossa Senhora de Medjugorje

quinta-feira, 21 de junho de 2018


Caríssimos irmãos, com muita alegria quero convidá-los a participar conosco da Santa Missa que será transmitida pela Rede Vida de TV, no dia 25/06 as 19hs em comemoração dos 37 anos de Aparições de Nossa Senhora Rainha da Paz em Medjugore. Faça a tua caravana e venha participar conosco.

17/06 ANIVERDÁRIO SACERDOTAL - na REDE VIDA

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Olá carissimos irmãos, diA 17/06, as 19:30hs na REDE VIDA DE TV, será transmitida a Santa Missa, em comemoração e 'AGRADECIMENTO A DEUS', pelos 12 anos de Ordenação Sacerdotal do Padre Fernando Tadeu e Pe. João Batista Alves. Não perca! Divulgue para seus amigos e participe em oração conosco deste momento de Graças!!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Support : | |
Copyright © 2011. Nossa Senhora de Medjugorje - All Rights Reserved
Template Created by Nossa Senhora de Medjugorje, Aparições de Nossa Senhora
Proudly powered by