EXALTAÇÃO DA SANTA CRUZ

terça-feira, 4 de setembro de 2018


Sexta feira dia 14 de setembro, comemoramos a Festa da Exaltação da Cruz. A cruz é o sinal revelador da vitória de Jesus sobre o pecado, a morte, o demônio, como também na Cruz,  encontramos o maior sinal do amor de Deus. 

É muito bonito notar que a Gospa caminha com a Igreja nesta mesma fé, e na mensagem do dia 25 de março de 1997, a mãe nos diz: ‘Queridos filhos, hoje eu os convido, de uma maneira especial, a tomar a cruz nas mãos e a meditar sobre as chagas de Jesus. Peçam a Jesus que cure as feridas de seus corações, que vocês filhinhos, receberam durante a vida por causa de seus pecados ou por causa dos pecados de seus pais. Somente assim compreenderam que o mundo necessita de cura, da fé em Deus criador. Através da paixão da morte de Jesus na cruz, compreenderam que somente com a oração, poderão também vocês tornarem-se verdadeiros apóstolos da fé, vivendo na simplicidade e na oração a fé, que é um dom. Obrigada por terdes respondido a minha chamada!”

Esta mensagem vem de encontro com a profecia de Isaias 53,5 que diz “Ele foi ferido por causa de nossos pecados, esmagado por causa de nossos crimes; a punição a ele imposta era o preço da nossa paz, e as suas feridas, foram o preço da nossa cura”. Que grande mistério de dor e de amor, pelas suas chagas nós fomos curados, fomos reconciliados com Deus novamente, o seu sangue derramado foi o preço da nova e eterna aliança.

Neste canto do servo de Javé, podemos perceber uma chave importantíssima – que nos lembra a Gospa - para entrarmos no mistério do calvário, pois lá, foi realizado o maior ato de amor, e a cruz nos testemunha que: “Não a maior prova de amor, do que doar a vida pelos amigos!”

Jesus como o servo de Javé, é escolhido desde o seio materno, é o que sofre calado, carrega o peso e o crime, como sendo o culpado, é inocente e suporta tudo com paciência, sendo ferido de morte pelo seu povo, e pelos nossos pecados. Jesus, o servo sofredor, sofre o mistério do sofrimento, sem ódio ou vingança, salva o mundo pelo seu sofrimento, pela sua misericórdia e amor, para mostrar que a salvação vem do perdão, vem do sangue derramado. Sofre também para nos ensinar que o sofrimento, seja ele físico ou espiritual, é algo de grande valor aos olhos de Deus, quando sofrido, aceito com alegria, com a intenção de sofrer por amor ao Senhor, e unido a Ele. 

Quantas pessoas são taxadas de vidas sem sentindo, como os deficientes físicos, os doentes, os marginalizados. Que imensa multidão também no mistério do Calvário, se une ao servo sofredor, que se encarnou, e encarnando-se em nossa humanidade, assumiu toda a nossa vida, todo o nosso pecado, todo o nosso sofrimento, para dar-nos a oportunidade de ressuscitar com ele, a nossa esperança.
Embora pareça que a experiência da dor, do sofrimento contradiga a boa nova do amor de Deus, destruindo a fé e a esperança, possamos perceber que ela, põem radicalmente em questão o nosso modo de conceber a salvação, a qual como dissemos tem o preço do sangue derramado de forma gratuita e amorosa.
Sem a cruz, podemos dizer que a esperança, é ilusão, é vazia, como também uma cruz sem esperança não é a cruz de Jesus, pois Ele é totalmente solidário conosco, na nossa humilhação, sofrimento e morte, Ele é o Emanuel, o Deus que caminha conosco. A cruz garante para nós, a certeza de não estarmos sozinho em nenhuma situação, pois ela é a nascente de uma nova esperança, de uma nova vida, da esperança de sabermos que hoje vivemos o vale de lágrimas, a paixão, mas que nos colocando, ou melhor, nos deixando pregar do outro lado de sua cruz, e ser elevados com Ele na cruz, podermos ser também elevados com Ele ao paraíso.

Assim diante da dor, não devemos fugir, por medo, por sentirmo-nos impotentes diante dos fatos, mas aceita-la, nos abandonando nas mãos do Pai, como também Jesus se abandonou, sabendo que muitas vezes estas mãos tem a forma de cruz, e como diz Paulo na carta aos Romanos: “Se participamos dos seus sofrimentos, participaremos também da sua glória”.

Jesus morre, e isto para nós não deve ser apenas uma bela frase, mas deve também se fazer em nossa vida, ou melhor, também nós devemos morrer para o mundo do pecado, para as nossas vontades e más inclinações, morrendo com amor, sem rebeldia, pois Jesus nos ama até mesmo quando nós o negamos como Judas e Pedro, com o nosso pecado, quando nós o crucificamos com as nossas atitudes egoístas, quando nós o culpamos pelos acontecimentos desagradáveis em nossa vida, quando nós o traímos servindo aos ídolos oferecidos pela sociedade que prega o hedonismo, o materialismo, o prazer. Mas Ele não nos deixa de amar, e seu amor é tão grande que deixou uma prova, uma cruz, a qual se torna por excelência, o livro do amor de Deus por nós, no qual o Senhor escreve o meu nome, o teu nome por toda a eternidade, mas este livro é apenas capaz de ler aquele que aprende a ler e viver a linguagem da Cruz, do sofrimento na aceitação com alegria e amor.

Se O acolhemos, Ele permanece ao nosso lado, mesmo quando tudo parece escuro, pois os pregos de seu amor, de forma mística, também nos traspassam, e nos une ao seu imenso amor, e com Ele vivemos crucificados, vivendo o mistério do Eterno amor. Se o acolhemos como o Crucificado de nossas vidas, e dizemos o nosso sim, Ele nos dá uma nova vida, um novo batismo em seu sangue, quero dizer, uma nova efusão do seu Espírito, e entrega o seu Espírito Santo sobre nós.
Jesus em uma revelação, disse a Santa Faustina: 

Às três horas da tarde, hora exata da minha morte, implora a Minha misericórdia especialmente para os pecadores, e ao menos por um breve momento reflete sobre a Minha Paixão, e acima de tudo sobre o abandono em que me encontrei no momento da agonia: essa é uma hora de grande misericórdia para o mundo inteiro. Permitirei que penetres na Minha tristeza mortal. Nessa hora não negarei nada à alma que me pedir em nome da Minha Paixão (Diário 1320).

A gospa nos estimula a contemplarmos e rezarmos, a mergulharmos nas chagas de Jesus, pois nas chagas de Jesus está todo o nosso pecado, toda a nossa dor, todo o nosso sofrimento, toda a nossa vida trespassada nas chagas do Senhor e pregada a na cruz, e quando mergulhamos nas chagas do Senhor, mergulhamos no seu amor por nós. Chagas na língua grega significa Typos, impressão, as chagas de Jesus são a impressão do amor de Deus por nós!!! E quando mergulhamos nas chagas, quando nos colocamos espiritualmente diante da cruz, deixamos que o sangue de Jesus nos lave e nos cure, e as graças são derramadas em nós.

Um dos hinos antigos da Igreja na festa da Exaltação nos manifesta a profunda veneração de que era objeto nesse dia a Cruz do Senhor, assim como a confiança depositada nela: “Veneremos a Cruz preciosa, remédio universal e fonte de santidade. É lenitivo das dores, desterra a enfermidade e livra de todo sofrimento os enfermos”. (Constantino VII, Profirogênito).

Na Mensagem da Gospa do dia 12 de setembro de 1985, ela nos diz: "Queridos filhos! Nestes dias (novena em preparação à festa da Exaltação da Cruz), quero convidá-los a colocarem a cruz no centro de su¬as vidas. Rezem especialmente diante da cruz da qual derivam grandes graças. Nestes dias, façam em suas casas uma consagração especial à cruz. Prometam não ofender a Jesus nem à cruz, e não blasfemem. Obrigada por terem respondido à minha chamada" 

Vamos nos consagrar a Cruz, colocar. Todas as vezes que rezo orações de libertação pelas pessoas, percebo que quando colocamos a Cruz do Senhor entre nós e toda a nossa linha hereditária, as maldições são quebradas, as maldades desfeitas, o mal afugentado.

Vamos neste momento como nos ensina a Gospa em sua mensagem, tomar a Cruz em nossas mãos, e nos colocar em espírito diante do crucificado, e rezar pedindo a cura do nosso coração, da nossa alma, da nossa família, pelas chagas de Cristo para nós, a cura física, psíquica e espiritual, vamos rezar no Espírito, imersos nas santas chagas de Jesus, rezando com a oração ensinada pelo Pe. Emiliano Tardif:

“Pai de bondade, Pai de amor, te bendigo, te louvo e te agradeço porque por amor nos deu Jesus. Obrigado, Pai, porque a luz do teu Espírito nos faz compreender que Ele é a luz, a verdade, o Bom Pastor, que veio para que nós tenhamos a vida e a tenhamos em abundância. Pai te peço, antes de mais nada, perdão dos meus pecados.
Senhor Jesus, creio que és vivo e ressurgido. Creio que és presente realmente no Santíssimo Sacramento do altar e cada um de nós que acreditamos em ti. Te louvo e te adoro. Te agradeço, Senhor, por ter vindo a mim, como Pão vivo descido do céu. Tu és a totalidade da vida, Tu és a ressurreição e a vida, Tu, Senhor, és a saúde dos doentes.
Hoje, Pai, quero me apresentar diante a ti como teu filho. Tu me conheces por nome.
Fixa os teus olhos de Pai amoroso sobre a minha vida. Tu conheces o meu coração e as feridas da minha vida. Tu conheces tudo aquilo que gostaria de ter feito e que não fiz; aquilo que fiz e o mal que fizeram os outros. Tu conheces os meus limites, os meus erros e o meu pecado. Conheces os traumas e os complexos da minha vida.
Hoje, Pai, te peço, pelo amor ao teu filho Jesus Cristo, pelas tuas antas chagas, derrame sobre mim o teu Espírito Santo, porque o calor do teu amor salvìfico penetre no intimo do meu coração e me cure. Tu que sanas os corações aflitos e enfaixa as feridas, cure aqui e agora a minha alma, a minha mente, a minha memória e todo o meu espírito.
Entra em mim, Senhor Jesus, como entrastes naquela casa, onde estavam os teus discípulos amedrontados. Tu apareceste em meio a eles e disseste: "Paz a vós". Entra no meu coração e doa-me a paz; enche-me de amor, ajuda-me a perdoar. Nós sabemos que o amor manda embora o temor.
Passa na minha vida e cura o meu coração. Sabemos, Senhor Jesus, que tu o fazes sempre, quando te o pedimos; e eu te estou pedindo com Maria, nossa Mãe, que era ao matrimonio de Canaã quando não tinha mais vinho e tu respondeste ao seu desejo transformando a água em vinho. Transforma o meu coração e me dás um coração generoso um coração afável, cheio de bondade, um coração novo, um coração que sabe perdoar a si mesmo.
Faz germinar em mim os frutos da tua presença. Doa-me os frutos do teu Espírito que são amor, paz e alegria. Que desça sobre mim o espírito das beatitudes, porque possa saborear e procurar Deus todos os dias, vivendo sem complexos e sem traumas junto aos outros, à minha família, aos meus irmãos.
Hoje quero te apresentar todos os meus males, porque tu és igual ontem, hoje e sempre e tu mesmo vens a mim onde me encontro. Tu és eterno presente e me conhece. Agora, Senhor, te peço de ter compaixão de mim. Visita-me pelo teu Evangelho, a fim de que todos reconheçam que tu és vivo, na tua Igreja, hoje; e que se renove a minha fé e a minha confiança em ti; te suplico Jesus.
Tenha compaixão dos sofrimentos do meu corpo, os quais te apresento agora tocando com a minha mão, tem compaixão dos sofrimentos do meu coração e da minha alma. Tenha compaixão de mim, Senhor, me abençoe e faz com que eu possa ser curado e readquirir a saúde da alma e do corpo. Que cresça a minha fé e que me abra às maravilhas do teu amor, porque seja também testemunho da tua potência e da tua compaixão.
Te o peço, Jesus, pelo poder das tuas santas chagas pela tua santa Cruz e pelo teu Preciosismo Sangue. Cura-me, Senhor. Liberta-me. Cura-me no corpo, cura-me no coração, cura-me na alma. Me dás a vida, a vida em abundância. Te peço pela intercessão de Maria Santíssima, tua Mãe, a Virgem das dores, que era presente, em pé, perto à tua Cruz; que foi a primeira a contemplar as tuas santas chagas, e que tu nos deste por Mãe.
Tu nos revelou de ter pegado as nossas dores e pelas tuas santas chagas fomos curados. Hoje, Senhor, te apresento com fé todos os meus males e te peço de curar-me completamente, acredito Senhor que neste momento impõem as tuas mãos sobre mim, e me tocas com as tuas santas chagas, envolvendo-me em teu amor, em teu calor que me cura.
Te peço, pela glória do Pai do céu, de curar também do doentes da minha família e os meus amigos. Faz que cresçam na fé, na esperança e que readquiram a saúde pela glória do teu nome. Para que o teu reino continue a estender-se sempre mais nos corações através dos sinais e os prodígios do teu amor.
Te agradeço, o Pai, por aquilo que hoje estás fazendo na minha vida. Te agradeço com todo o coração, porque me curas, porque me livras, porque quebras as minhas correntes e me doas a liberdade.
Tudo isto, Jesus, te pedimos porque és Jesus. Tu és o Bom Pastor e nos todos somos as ovelhinhas do teu rebanho.  Sou certo do teu amor, que antes ainda de conhecer o resultado da minha oração, te digo com fé: obrigado, Jesus, por tudo aquilo que farás por mim e por cada um deles. Obrigado pelos doentes que estás curando agora, obrigado por aqueles que estás visitando com a tua Misericórdia.
Obrigado, Senhor Jesus, porque sou templo do teu Espírito e este templo não se pode destruir, porque é a casa de Deus. Te agradeço, Espírito Santo, Deus Trio e Um! “Que tu sejas abençoado e louvado, o Senhor.”

Pe Fernando Tadeu Barduzzi  Tavares
Jornalista 0083521/SP
padrefernandotadeu@gmail.com

Compartilhe este artigo, evangelize! :

0 comentários:

Deixe seu comentario

O que você achou do artigo... !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Support : | |
Copyright © 2011. Nossa Senhora de Medjugorje - All Rights Reserved
Template Created by Nossa Senhora de Medjugorje, Aparições de Nossa Senhora
Proudly powered by