O PURGATÓRIO DE SÃO PATRÍCIO - LITURGIA DIÁRIA , 09 DE DEZEMBRO DE 2013

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013


http://3.bp.blogspot.com/-QxZT-x9Vh4k/UmLw6bFEO1I/AAAAAAAABZY/yynnB98RP1c/s1600/Purgat%25C3%25B3rio+de+S%25C3%25A3o+Patr%25C3%25ADcio+2.jpg

O PURGATÓRIO DE SÃO PATRÍCIO






Ilha de Lough Derg, onde se encontra o Purgatório de São Patrício, um dos "portões" do Inferno 





Nascido no século IV na Grã-Bretanha, São Patrício é padroeiro da Irlanda e personagem de um dos contos mais populares na Europa Medieval . Narra a lenda que, orientado por Cristo, São Patrício encontrou um "buraco" (que pode ser interpretado como uma gruta ou um poço) que dava acesso direto ao purgatório . Muitos ousavam penetrar a gruta mas não retornavam


Até que um cavaleiro inglês de nome Owen, que trazia muitos pecados em sua alma, entrou na gruta e algum tempo depois retornou.  Sir Owen disse que vários demônios tentaram afligi-lo mas sempre invocou o nome de Cristo e os demônios se afastavam.  Owen viu o purgatório e as almas torturadas dos pecadores; viu demônios e outras criaturas bestiais, mas retornou vitorioso. Esse local em Lough Eske, no condado de Donegal, região setentrional da Irlanda, tornou-se ponto de uma das mais importantes peregrinações da Idade Média

Até hoje é realizada, mas em outras circunstâncias.  A data tradicional de início dessa peregrinação é 445, quando São Patrício, conhecido como o apóstolo da Irlanda, mostrou para os pagãos uma visão do Inferno e da Montanha do Purgatório dentro da referida caverna . Diz a lenda que o santo andava desencorajado com as crescentes dúvidas dos recém-convertidos ao cristianismo, que exigiam provas substanciais de que a religião os salvaria do Inferno. Assim, São Patrício rezou a Deus para que o ajudasse a convencer os irlandeses e então teve a revelação da caverna onde, ao se passar a noite, podia-se ouvir os gritos dos condenados no Inferno e no Purgatório


 
A história do Purgatório de São Patrício é mencionada pelo Beato Tiago de Varazze (1226-1298) :


"O bem aventurado Patrício pregava na Irlanda com poucos resultados, por isso pediu ao Senhor um sinal que assustasse os pecadores levando-os a fazer penitência. Por ordem do Senhor, ele traçou então com seu báculo um grande círculo no solo, e em toda aquela circunferência a terra abriu um grande e fundo poço. Foi revelado ao beato Patrício que aquele era o lugar do Purgatório, e quem quisesse ali descer não precisaria mais fazer penitência por seus pecados em outro purgatório. A maioria dos que ali entrasse não sairia, mas alguns voltariam depois de lá ter permanecido da manhã de um dia à manhã do outro. De fato, muitos dos que ali entravam não voltavam"


São Patrício revelou aos crentes a caverna, onde se podiam ouvir os gritos dos condenados ao Purgatório e ao Inferno, e permitiu que lá passassem a noite. Se resistissem aos demônios, voltariam certos de que iriam para o Céu purificados. Mas, caso se deixassem seduzir, não regressariam mais e passariam a eternidade como condenados. No século XII, na entrada da caverna, foi construída uma abadia, a igreja de Santa Maria, e o abade era a pessoa que controlava o acesso à caverna, que ficava fechado à chave


Os peregrinos chegavam ao local de barco, entre os dias primeiro de junho e 15 de agosto, e só podiam andar descalços. Faziam exercícios espirituais durante três dias; esses exercícios consistiam em se ajoelhar sobre as rochas e rezar diante de um determinado número de cruzes erguidas em forma de um rosário, em honra dos mais proeminentes santos mártires irlandeses. Cada vez que um peregrino terminava suas devoções, ia até um grande penhasco, de onde podia ver um espelho de água. Lá, contemplavam o lago do local e entregavam-se a momentos de contemplação


A peregrinação ao Purgatório de São Patrício permaneceu ininterrupta ao longo dos séculos. Ainda hoje, Lough Derge continua sendo bastante procurada como rota de peregrinação. Só que a entrada para a caverna de acesso ao Purgatório e ao Inferno se perdeu e não pôde mais ser localizada com exatidão


A história de Nicolau : Tiago de Varazze também conta esta história sobre o Purgatório de São Patrício: "Muito tempo depois da morte de Patrício, um nobre chamado Nicolau quis se penitenciar de seus muitos pecados no Purgatório de São Patrício. Depois de ter se mortificado com quinze dias de jejum, como todos faziam, usando a chave, guardada numa abadia, abriu a porta do poço em questão e desceu  por ele. Em um dos lados encontrou a entrada de um oratório, no qual logo depois apareceram monges com alva celebrando o ofício. Disseram a Nicolau que fosse forte, porque o diabo o faria passar por diversas provações. Ele perguntou que ajuda poderia ter contra eles, e os monges explicaram: 'Quando você se sentir atingido pelos castigos, no mesmo instante exclame: Jesus Cristo, filho do Deus vivo, tenha piedade de mim que sou pecador'


Logo que os monges retiraram-se, apareceram demônios que, com doces promessas, tentaram convencê-lo a voltar de onde viera e a obedecer-lhes, garantindo que cuidariam dele e que o levariam incólume para casa. Mas como ele não quis obedecer, logo ouviu rugidos e mugidos de diferentes animais ferozes, como se todos os elementos da natureza quisessem aterrorizá-lo. Tremendo, com um medo horrível, apressou-se a exclamar: 'Jesus Cristo, filho do Deus vivo, tenha piedade de mim que sou pecador'. E, no mesmo instante, acabou completamente aquele terrível tumulto das feras. Ele continuou a caminhar e chegou a um lugar no qual uma multidão de demônios disse-lhe: 'Você acha que vai escapar de nós? De maneira alguma! Ao contrário, é agora que vai começar a ser afligido e atormentado'. Apareceu, então, um enorme e terrível fogo e os demônios disseram: 'Se não concordar conosco, vamos jogá-lo neste fogo'. Diante de sua recusa, agarraram-no e jogaram-no naquele braseiro terrível, e logo que ele se sentiu torturado exclamou: 'Jesus Cristo, filho do Deus vivo, tenha piedade de mim que sou pecador' e o fogo extinguiu-se no mesmo instante


Dali chegou a um lugar em que viu homens sendo queimados vivos, flagelados pelos demônios com lâminas de ferro em brasa que atingiam as suas entranhas, enquanto outros, deitados no chão de barriga para baixo, mordiam a terra gritando: 'Perdão! Perdão!', o que levava os demônios a tortura-los ainda mais. Viu outros cujos membros eram devorados por serpentes e cujas vísceras eram arrancadas com ganchos incandescestes pelos carrascos. Como Nicolau continuava a não ceder, foi jogado no fogo para sofrer o suplício com as lâminas, mas exclamou: 'Jesus Cristo, filho do Deus vivo, tenha piedade de mim que sou pecador' e foi imediatamente libertado daqueles tormentos


Em seguida, foi a um lugar onde os homens eram fritos numa frigideira e onde havia uma enorme roda com pontas de ferro ardente nas quais ficavam suspensos pelos membros, enquanto a roda girava com tanta rapidez que faiscava. Mais adiante viu uma construção imensa, onde havia fossas cheias de metais em ebulição nas quais alguns homens eram obrigados a mergulhar um pé, outros os dois pés, outros estavam ali até os joelhos, outros até a barriga, outros até o peito, outra até o pescoço, outros, enfim, até os olhos. Mas Nicolau escapava de cada um desses tormentos invocando o nome de Deus


Continuando o seu caminho, viu um poço larguíssimo, do qual saía uma fumaça horrível e um fedor insuportável. Dali tentavam escapar homens vermelhos como brasa, mas os demônios empurravam-nos de volta. Os demônios explicaram: 'Este lugar que você está vendo é o Inferno, onde mora nosso senhor Belzebu. Se não nos obedecer, jogá-lo-emos ali e não haverá meio algum de escapar'. Como Nicolau ouviu isso com desprezo, eles o agarraram e o jogaram no poço, sendo atingido por uma dor tão violenta que quase esqueceu de invocar o nome do Senhor, mas com o coração, porque não podia com a voz, conseguiu exclamar: 'Jesus Cristo, filho do Deus vivo, tenha piedade de mim que sou pecador' e logo saiu dali ileso. Toda a multidão de demônios desapareceu, vencida




Prosseguiu a viagem e, noutro lugar, viu uma ponte que devia atravessar, lisa e escorregadia como gelo, e sob a qual corria um imenso rio de enxofre e fogo. Estava desesperado com a ideia de atravessá-la quando se lembrou da invocação que o livrara de tantos males. Aproximou-se confiante e, pondo um pé na ponte, disse: 'Jesus Cristo, filho do Deus vivo, tenha piedade de mim que sou pecador'. Um grito violento assustou-o a ponto de perder o equilíbrio, mas pronunciou as palavras costumeiras e manteve-se firme e, assim, repetindo as palavras a cada passo, atravessou a ponte em segurança


Então, chegou a uma campina muito agradável, envolta em suave aroma de diferentes flores e na qual lhe apareceram dois belos jovens que o levaram a uma magnífica cidade, maravilhosamente resplandecente de ouro e pedras preciosas. De suas portas saía um cheiro tão delicioso e relaxante que lhe parecia não ter sentido nenhum tipo de dor ou fedor. Os jovens disseram que aquela cidade era o Paraíso. Como Nicolau queria entrar, eles disseram que primeiro deveria voltar para a casa dos seus pais, sem medo, pois os demônios não lhe fariam mal, ao contrário, fugiriam apavorados ao vê-lo. Depois, passados trinta dias, ele morreria em paz e, então, entraria naquela cidade como seu cidadão perpétuo. Nicolau subiu, então, por onde descera, contou a todos tudo o que lhe tinha acontecido e trinta dias depois repousou feliz no Senhor"





LITURGIA DO DIA 09 DE DEZEMBRO DE 2013

PRIMEIRA LEITURA (IS 35,1-10)
LEITURA DO LIVRO DO PROFETA ISAÍAS - 1Alegre-se a terra que era deserta e intransitável, exulte a solidão e floresça como um lírio. 2Germine e exulte de alegria e louvores. Foi-lhe dada a glória do Líbano, o esplendor do Carmelo e de Saron; seus habitantes verão a glória do Senhor, a majestade do nosso Deus. 3Fortalecei as mãos enfraquecidas e firmai os joelhos debilitados. 4Dizei às pessoas deprimidas: “Criai ânimo, não tenhais medo! Vede, é vosso Deus, é a vingança que vem, é a recompensa de Deus; é ele que vem para vos salvar”.5Então se abrirão os olhos dos cegos e se descerrarão os ouvidos dos surdos. 6O coxo saltará como um cervo e se desatará a língua dos mudos, assim como brotarão águas no deserto e jorrarão torrentes no ermo. 7A terra árida se transformará em lago, e a região sedenta, em fontes d’água; nas cavernas onde viviam dragões crescerá o caniço e o junco. 8Ali haverá uma vereda e um caminho; o caminho se chamará estrada santa: por ela não passará o impuro; mas será uma estrada reta em que até os débeis não se perderão. 9Ali não existem leões, não andam por ela animais depredadores, nem mesmo aparecem lá; os que forem libertados poderão percorrê-la, 10os que o Senhor salvou voltarão para casa. Eles virão a Sião cantando louvores, com infinita alegria brilhando em seus rostos: cheios de gozo e contentamento, não mais conhecerão a dor e o pranto” - Palavra do Senhor

SALMO RESPONSORIAL (SI 84)
EIS QUE VEM O NOSSO DEUS! ELE VEM PARA SALVAR
— Quero ouvir o que o Senhor irá falar: é a paz que ele vai anunciar; a paz para o seu povo e seus amigos, para os que voltam ao Senhor seu coração. Está perto a salvação dos que o temem, e a glória habitará em nossa terra.
— A verdade e o amor se encontrarão, a justiça e a paz se abraçarão; da terra brotará a fidelidade, e a justiça olhará dos altos céus.
— O Senhor nos dará tudo o que é bom, e a nossa terra nos dará suas colheitas; a justiça andará na sua frente e a salvação há de seguir os passos seus.
EVANGELHO (LC 5,17-26)
17Um dia Jesus estava ensinando. À sua volta estavam sentados fariseus e doutores da Lei, vindos de todas as aldeias da Galileia, da Judeia e de Jerusalém. E a virtude do Senhor o levava a curar. 18Uns homens traziam um paralítico num leito e procuravam fazê-lo entrar para apresentá-lo. 19Mas, não achando por onde introduzi-lo, devido à multidão, subiram ao telhado e por entre as telhas o desceram com o leito no meio da assembléia diante de Jesus. 20Vendo-lhes a fé, ele disse: “Homem, teus pecados estão perdoados”. 21Os escribas e fariseus começaram a murmurar, dizendo: “Quem é este que assim blasfema?” 22Conhecendo-lhes os pensamentos, Jesus respondeu, dizendo: “Por que murmurais em vossos corações? 23O que é mais fácil dizer: ‘teus pecados estão perdoados’, ou dizer: ‘levanta-te e anda’? 24Pois, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder de perdoar pecados — disse ao paralítico — eu te digo: levanta-te, pega o leito e vai para casa”. 25Imediatamente, diante deles, ele se levantou, tomou o leito e foi para casa, louvando a Deus. 26Todos ficaram fora de si, glorificavam a Deus e cheios de temor diziam: “Hoje vimos coisas maravilhosas!” - Palavra da Salvação





 
Mensagem do dia 25 de julho de 1994 - "Hoje, convido-os a decidirem-se a oferecer pacientemente parte do tempo à oração. Filhinhos, vocês não podem dizer que são Meus e que vivem a conversão através das Minhas mensagens se não estiverem dispostos a oferecer diariamente parte do tempo a Deus. Eu estou perto de vocês e os abençôo a todos. Filhinhos, não se esqueçam de que, se não rezarem, não estarão próximos nem de Mim nem do Espírito Santo, que os conduz pela estrada da santidade" – Mensagem de Nossa Senhora em Medjugorje



A IGREJA CELEBRA HOJE , SANTA JOANA FRANCISCA DE CHANTAL - Neste dia queremos lembrar a vida da santa que na liturgia comemoraremos amanhã, Joana Francisca de Chantal, modelo de jovem, mãe, irmã e, por fim, de religiosa. Nasceu em Dijon, centro da França, em 1572 e foi pelas provações modelada até a santidade. A mãe tão amada faleceu quando Joana era criança; o pai, homem de caráter exemplar, era presidente da câmara dos vereadores e por causa de maquinações políticas chegou a sofrer pobreza e muitas humilhações. Joana, que recebeu da família a riqueza da fé, deu com 5 anos um exemplo marcante quanto a presença de Jesus no Santíssimo Sacramente, pois falou a um calvinista que questionava o pai: “O Senhor Jesus Cristo está presente no Santíssimo Sacramento, porque Ele mesmo o disse. Se pretendeis não aceitar o que Ele falou, fazeis dele um mentiroso”. Santa Joana Francisca com 20 anos casou-se com um Barão (Barão de Chantal), tiveram quatro filhos, e juntos começaram a educar os filhos, principalmente com o exemplo. Joana era sempre humilde, caridosa para com o esposo, filhos e empregados; amava e muito amada. Tristemente perdeu seu esposo que foi vítima de um tiro durante uma caça e somente com a graça de Deus conseguiu perdoar os causadores, e corajosamente educar os filhos. Como santa viúva, Joana conheceu o Bispo Francisco de Sales que a assumiu em direção espiritual e encontrou na santa a pessoa ideal para a fundação de uma Ordem religiosa. Isto no ano de 1604. A partir disso, começou e se desenvolveu uma das mais belas amizades que se têm conhecido entre os santos da Igreja. Santa Joana Francisca de Chantal, já com os filhos educados, encontrou resistência dos seus familiares, porém, diante do chamado de Cristo, tornou-se fundadora das Irmãs da Visitação de Nossa Senhora. Seguindo o exemplo de Maria, a santa de hoje com suas irmãs fizeram um grande bem à sociedade e à toda Igreja. A longa vida religiosa da Senhora de Chantal foi cheia de trabalhos, sofrimentos e consolações. Faleceu em Moulins, no ano de 1641. Nessa época, já existiam na França noventa casas da sua Ordem. São Francisco de Sales nunca abandonou a filha espiritual; sobreviveu-lhe ela dezenove anos e repousa a seu lado na capela da Visitação, em Annecy (local da fundação da primeira casa da Ordem das Irmãs da Visitação de Nossa Senhora). Santa Joana Francisca de Chantal, rogai por nós!



Compartilhe este artigo, evangelize! :

0 comentários:

Deixe seu comentario

O que você achou do artigo... !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Support : | |
Copyright © 2011. Nossa Senhora de Medjugorje - All Rights Reserved
Template Created by Nossa Senhora de Medjugorje, Aparições de Nossa Senhora
Proudly powered by