“Celebrem a Missa com o coração”

quarta-feira, 6 de novembro de 2013



Queridos irmãos, queridas irmãs, a paz! O Pe. Slavko declarou que, entre as muitas experiências que pôde viver em Medjugorje, havia descoberto uma “inexaurível inspiração espiritual na celebração eucarística”. Ele percebeu que “precisava” preparar-se para este momento com a oração e a reflexão e constatou o “perigo a que se expõem muitos padres, leigos, leigas e fiéis quando vão à Missa sem preparação e a terminam sem ação de graças. Eles podem errar completamente o encontro com Cristo, transformando a Missa num dever a ser cumprido”.

Foi com essa preocupação que o Pe. Slavko escreveu um livro precioso: “Celebrem a Missa com o coração”, do qual veremos alguns trechos.

“Madre Teresa de Calcutá disse uma vez: A Cruz simboliza o amor que Jesus nos teve; a Eucaristia, o amor que Jesus nos tem.

Maria, a Mãe de Cristo, é a Mãe da Eucaristia. Ela nos convida a vivermos a vida eucarística, a procedermos de tal maneira que a Missa se transforme em vida e a vida em Missa. Nossa Senhora deseja nos ensinar a crescermos incessantemente num amor aberto ao sacrifício, bebendo da fonte inesgotável do Amor eucarístico divino. Eucaristia, com efeito, significa prontidão em aceitar o dom de Deus e a doá-lo novamente.

O convite de Maria é claríssimo: quando rezam, façam-no com o coração! E ao se dirigirem à Missa, participem de coração. Fazer alguma coisa com o coração ou de coração significa simplesmente fazê-la com amor, com dedicação, dignidade e recolhimento.

Parece-me importante sublinhar que rezar ou celebrar com o coração não significa “ter sempre a mesma disposição”. Se, por exemplo, uma mãe passa a noite velando junto ao filho doente, é claro que o faz por amor. Nem por isso deixa de experimentar dificuldades, preocupações, cansaço. Mas é justamente em tais circunstâncias, quando surgem dificuldades para continuar agindo com amor, que o amor se prova. Quando, ao contrário, o amor precisa de apoio dos sentimentos, nem mereceria ser definido como tal. Muitos abandonaram a oração e a Missa porque encontraram obstáculos e, ao invés de superá-los, como normalmente se faz na vida, simplesmente as puseram de lado.

No momento da Missa, Deus nos fala pelas leituras da Bíblia, Cristo se sacrifica por nós no altar, se faz presente no pão e desta maneira se oferece a nós na Eucaristia, que se transforma assim num misterioso encontro da alma e do coração com o Deus invisível.

A preparação à visita de Cristo deve efetuar-se na oração, na leitura da Bíblia, nas boas ações feitas conscientemente e num trabalho realizado com convicção, segundo a possibilidade que Deus nos deu de colaborar com Ele. Se esta consciência vier a faltar e se o fiel não vive neste estado, mas trabalha, corre e passa toda a semana no sufoco, solicitado por todos os lados, sem tempo para rezar e ler a Palavra de Deus, então o encontro dominical desse homem se transformará numa desilusão. Por mais boa vontade que tenha, não conseguirá viver o encontro com o Deus vivo, nem ouvir sua palavra, nem reconhecer-lhe a vontade. Continuará insensível diante da celebração da Missa e estranho ao desenrolar dos acontecimentos. Isso explica por que muitos fiéis vão regularmente à Missa, durante a vida toda, sem nada mudarem em seu dia a dia.

Todo o nosso dia ou a nossa semana deveria ser uma consciente preparação ao encontro vital com Cristo na Missa, ao encontro com Aquele que deseja colaborar conosco e tornar-nos prontos a colaborar com ele. Todos os nossos sucessos ou insucessos, as nossas alegrias ou tristezas, os nossos erros ou pecados, tornam-se assim, em certo sentido, uma preparação ao encontro com Cristo, quando a pessoa procura esse encontro nas profundezas de sua alma.

Em Medjugorje, a verdadeira preparação se faz antes de cada Missa vespertina. Recita-se o rosário, invoca-se e suplica-se o Espírito Santo e cantam-se as ladainhas de Nossa Senhora. Ela deseja uma preparação. Esses preparativos duram uma hora. Mas, mesmo no caso de não se poder chegar tanto tempo antes na igreja, a preparação nunca deveria faltar. Enquanto se dirige o carro ou se caminha, sozinho ou em companhia de familiares e amigos, pode-se ir preparando o encontro litúrgico. De que maneira? Cessando as conversas e começando a rezar. As intenções individuais e as graças que vamos pedir devem ser: o amor a Jesus, a fé na presença eucarística, o amor à sua palavra e a oração pedindo as luzes do Espírito Santo para nós, para todos os que vão à Missa e para o padre ou os padres que vão celebrá-la. Também seria bom rezar para sermos iluminados interiormente, para reconhecermos quais as dificuldades e obstáculos que atrapalham o nosso encontro com Deus. Outra intenção seria a cura das feridas que permanecem em nossa alma por causa do pecado individual, do pecado dos outros em relação a nós e do nosso em relação aos outros.

A alma e o coração devem estar prontos, sentir esta Presença que se manifesta de maneira simples no pão e no vinho, e ouvir o “silêncio divino” com o qual Deus deseja falar-nos e curar-nos. Trata-se de um encontro com o Deus vivo, por meio de Jesus Cristo.

Fonte: “Celebrem a Missa com o coração”, do Padre Slavko Barbaric
Compartilhe este artigo, evangelize! :

0 comentários:

Deixe seu comentario

O que você achou do artigo... !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Support : | |
Copyright © 2011. Nossa Senhora de Medjugorje - All Rights Reserved
Template Created by Nossa Senhora de Medjugorje, Aparições de Nossa Senhora
Proudly powered by