Quinta Feira IV Semana do Tempo Comum

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012




Apresentação de Jesus ao Templo LAUDES

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Hino


Sião, na espera do Senhor,
adorna o tálamo ditoso.
Na vigilante luz da fé,
acolhe a esposa e o esposo!

Ó ancião feliz, apressa-te,
cumpre a promessa da alegria,
revela a todos a luz nova
que para os povos se anuncia.

Os pais ao Templo levam Cristo,
no Templo, o Templo se oferece.
E quem à lei nada devia,
à lei dos homens obedece.

Oferta, ó Virgem, o teu Filho,
que é do Pai o Filho amado.
Nele oferece nosso preço,
pelo qual fomos resgatados.

No ritual do sacrifício
teu Filho, ó Virgem, oferece.
A salvação foi dada a todos,
grande alegria resplandece.

Louvor a vós, ó Jesus Cristo,
que hoje às nações vos revelais,
a vós, ao Pai e ao Espírito
glória nos séculos eternais.

Salmodia

Ant. 1 O justo e piedoso Simeão
esperava a redenção de Israel,
e o Espírito de Deus estava nele.

Salmo 62 (63), 2-9.

Sede de Deus
Vigia diante de Deus, quem rejeita as obras das trevas (cf. 1Ts 5,5)

— 2Sois vós, ó Senhor, o meu Deus!*
Desde a aurora ansioso vos busco!
= A minh'alma tem sede de vós,+
minha carne também vos deseja,*
como terra sedenta e sem água!

— 3Venho, assim, contemplar-vos no templo,*
para ver vossa glória e poder.
— 4Vosso amor vale mais do que a vida:*
e por isso meus lábios vos louvam.

— 5Quero, pois, vos louvar pela vida,*
e elevar para vós minhas mãos!
— 6A minh'alma será saciada,*
como em grande banquete de festa;
— cantará a alegria em meus lábios,*
ao cantar para vós meu louvor!

- 7Penso em vós no meu leito, de noite,*
nas vigílias suspiro por vós!
— 8Para mim fostes sempre um socorro;*
de vossas asas à sombra eu exulto!
— 9Minha alma se agarra em vós;*
com poder vossa mão me sustenta.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. O justo e piedoso Simeão
esperava a redenção de Israel,
e o Espírito de Deus estava nele.

Ant. 2 Simeão toma o Menino nos seus braços
e dá graças, bendizendo ao Senhor.

No cânticos que se segue o refrão entre parênteses é opcional.

Cântico Dn 3,57-88.56

Louvor das criaturas ao Senhor
Louvai o nosso Deus, todos os seus servos (Ap 19,5)

- 57Obras do Senhor, bendizei o Senhor,*
louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
- 58Céus, bendizei o Senhor!
59Anjos do Senhor, bendizei o Senhor!

(R. Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
Ou
R. A ele glória e louvor eternamente)

- 60Águas do alto céu, bendizei o Senhor!*
61Potências do Senhor, bendizei o Senhor!
- 62Lua e sol, bendizei o Senhor!*
63Astros e estrelas bendizei o Senhor!
(R.)
- 64Chuvas e orvalhos, bendizei o Senhor!*
65Brisas e ventos, bendizei o Senhor!
- 66Fogo e calor, bendizei o Senhor!*
67Frio e ardor, bendizei o Senhor!
(R.)
- 68Orvalhos e garoas, bendizei o Senhor!*
69Geada e frio, bendizei o Senhor!
- 70Gelos e neves, bendizei o Senhor!*
71Noites e dias, bendizei o Senhor!
(R.)
- 72Luzes e trevas, bendizei o Senhor!*
73Raios e nuvens, bendizei o Senhor!
-74Ilhas e terra, bendizei ao Senhor!*
Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
(R.)
- 75Montes e colinas, bendizei o Senhor!*
76Plantas da terra, bendizei o Senhor!
- 77Mares e rios, bendizei o Senhor!*
78Fontes e nascentes, bendizei o Senhor!
(R.)
- 79Baleias e peixes, bendizei o Senhor!*
80Pássaros do céu, bendizei o Senhor!
- 81Feras e rebanhos, bendizei o Senhor!*
82Filhos dos homens, bendizei o Senhor!
(R.)
- 83Filhos de Israel, bendizei o Senhor!*
Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
- 84Sacerdotes do Senhor, bendizei o Senhor!*
85Servos do Senhor, bendizei o Senhor!
(R.)
- 86Almas dos justos, bendizei o Senhor!*
87Santos e humildes, bendizei o Senhor!
- 88Jovens Misael,Ananias e Azarias, bendizei o Senhor,*
louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
(R.)
- ao Pai e ao Filho e ao espírito Santo*
louvemos e exaltemos pelos séculos sem fim!
- 56Bendito sois, Senhor, no firmamento dos céus!*
Sois digno de louvor e de glória eternamente!
(R.)
No fim deste cântico não se diz Glória ao Pai

Ant. Simeão toma o Menino nos seus braços
e dá graças, bendizendo ao Senhor.

Ant. 3Uma luz que brilhará para os gentios
e para a glória de Israel, vosso povo.

Salmo 149

A alegria e o louvor dos santos
Os filhos da Igreja, novo povo de Deus, se alegrem no seu Rei Cristo Jesus (Hesíquio)

— 1Cantai ao Senhor Deus um canto novo,*
e o seu louvor na assembléia dos fiéis!
— 2Alegre-se Israel em quem o fez,*
e Sião se rejubile no seu Rei!
— 3Com danças glorifiquem o seu nome,*
toquem harpa e tambor em sua honra!

— 4Porque, de fato, o Senhor ama seu povo*
e coroa com vitória os seus humildes.
— 5Exultem os fiéis por sua glória,*
e cantando se levantem de seus leitos,
— 6com louvores do Senhor em sua boca*
e espadas de dois gumes em sua mão,

— 7para exercer sua vingança entre as nações,*
e infligir o seu castigo entre os povos,
— 8colocando nas algemas os seus reis,*
e seus nobres entre ferros e correntes,
— 9para aplicar-lhes a sentença já escrita:*
Eis a glória para todos os seus santos.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Uma luz que brilhará para os gentios
e para a glória de Israel, vosso povo.

Leitura breve Ml 3,1

Eis que envio meu anjo, e ele há de preparar o caminho para mim; logo chegará ao seu
templo o Dominador, que tentais encontrar, e o anjo da aliança, que desejais.

Responsório breve

R. No esplendor do santo templo,
* Adorai o Senhor Deus! R.No esplendor.
V. Dai a Deus glória e louvor!* Adorai.
Glória ao Pai. R. No esplendor.

CÂNTICO EVANGÉLICO(BENEDICTUS) Lc 1,68-79

Ant. José e Maria levaram ao templo o Menino Jesus;
Simeão recebeu-o e, tomando-o nos braços,
bendisse o Senhor.

O Messias e seu Precursor

–68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, *
que a seu povo visitou e libertou;

–69 e fez surgir um poderoso Salvador *
na casa de Davi, seu servidor,

–70 como falara pela boca de seus santos, *
os profetas desde os tempos mais antigos,

–71 para salvar-nos do poder dos inimigos *
e da mão de todos quantos nos odeiam.

–72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, *
recordando a sua santa Aliança

–73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, *
de conceder-nos 74 que, libertos do inimigo,

= a ele nós sirvamos sem temor †
75 em santidade e em justiça diante dele, *
enquanto perdurarem nossos dias.

=76 Serás profeta do Altíssimo, ó menino, †
pois irás andando à frente do Senhor *
para aplainar e preparar os seus caminhos,

–77 anunciando ao seu povo a salvação, *
que está na remissão de seus pecados;

–78 pelo amor do coração de nosso Deus, *
Sol nascente que nos veio visitar

–79 lá do alto como luz resplandecente *
a iluminar a quantos jazem entre as trevas

= e na sombra da morte estão sentados †
e para dirigir os nossos passos, *
guiando-nos no caminho da paz.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. José e Maria levaram ao templo o Menino Jesus;
Simeão recebeu-o e, tomando-o nos braços,
bendisse o Senhor.

Preces

Adoremos nosso Salvador, que hoje foi apresentado no templo; e peçamos:

R. Senhor, que os nossos olhos vejam a vossa salvação.

Cristo Jesus, que quisestes ser apresentado no templo, segundo a lei,
– ensinai a nos oferecermos convosco no sacrifício da Igreja. R.

Consolador de Israel, a quem o justo Simeão acolheu no templo,
– ensinai-nos também a vos acolher na pessoa de nossos irmãos e irmãs. R.

Esperança das nações, de quem a profetisa Ana falava a todos os que esperavam a
libertação de Israel,
– ensinai-nos a falar de vós, como convém, a todas as pessoas. R.

Pedra angular do reino de Deus, colocada como sinal de contradição,
– fazei que, pela fé e pela caridade, nós vos encontremos e em vós sejamos ressuscitados. R.

(intenções livres)

Pai nosso.

Oração

Deus eterno e todo-poderoso, ouvi as nossas súplicas. Assim como o vosso Filho único,
revestido da nossa humanidade, foi hoje apresentado no Templo, fazei que nos
apresentemos diante de vós com os corações purificados. Por nosso Senhor Jesus Cristo,
vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.


Hora Média

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

HINO

Cumprindo o ciclo tríplice das horas,
louvemos ao Senhor de coração,
cantando em nossos salmos a grandeza
de Deus, que é Uno e Trino em perfeição.

A exemplo de São Pedro, nosso mestre,
guardando do Deus vivo e verdadeiro,
em almas redimidas, o mistério,
sinal de salvação ao mundo inteiro,

também salmodiamos no espírito,
unidos aos apóstolos do Senhor,
e assim serão firmados nossos passos
na força de Jesus, o Salvador.

Louvor ao Pai, autor de toda a vida,
e ao Filho, Verbo Eterno, Sumo Bem,
unidos pelo amor do Santo Espírito,
Deus vivo pelos séculos. Amém.

Salmodia
-- salmodia complementar --

Ant. 1 Se compreenderdes o que vos digo,
sereis felizes se o praticardes.

Salmo 118(119),137-144

XVIII (Sade)

Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei
Feliz aquele que lê e aqueles que escutam as palavras desta profecia e também
praticam o que nela está escrito (Ap 1,3).

–137 Vós sois justo, na verdade, ó Senhor, *
e os vossos julgamentos são corretos!
–138 Com justiça ordenais vossos preceitos, *
com verdade a toda prova os ordenais.

–139 O meu zelo me devora e me consome, *
por esquecerem vossa lei meus inimigos.
–140 Vossa palavra foi provada e comprovada, *
por isso o vosso servo tanto a ama.

–141 Embora eu seja tão pequeno e desprezado, *
jamais esqueço vossas leis, vossos preceitos.
–142 Vossa justiça é justiça eternamente *
e vossa lei é a verdade inabalável.

–143 Angústia e sofrimento me assaltaram; *
minhas delícias são os vossos mandamentos.
–144 Justiça eterna é a vossa Aliança; *
ajudai-me a compreendê-la e viverei!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Se compreenderdes o que vos digo,
sereis felizes se o praticardes.

Ant. 2 Chegue a minha oração até vós, ó Senhor!

Salmo 87(88)

Prece de um homem gravemente enfermo
Esta é a vossa hora, a hora do poder das trevas (Lc 22,53).

I
–2 A vós clamo, Senhor, sem cessar, todo o dia, *
e de noite se eleva até vós meu gemido.
–3 Chegue a minha oração até a vossa presença, *
inclinai vosso ouvido a meu triste clamor!

–4 Saturada de males se encontra a minh'alma, *
minha vida chegou junto às portas da morte.
–5 Sou contado entre aqueles que descem à cova, *
toda gente me vê como um caso perdido!

–6 O meu leito já tenho no reino dos mortos, *
como um homem caído que jaz no sepulcro,
– de quem mesmo o Senhor se esqueceu para sempre *
e excluiu por completo da sua atenção.

–7 Ó Senhor, me pusestes na cova mais funda, *
nos locais tenebrosos da sombra da morte.
–8 Sobre mim cai o peso do vosso furor, *
vossas ondas enormes me cobrem, me afogam.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Chegue a minha oração até vós, ó Senhor!

Ant. 3 Clamo a vós, ó Senhor, sem cessar todo o dia,
oh! não escondais vossa face de mim!

II
–9 Afastastes de mim meus parentes e amigos, *
para eles tornei-me objeto de horror.
– Eu estou aqui preso e não posso sair, *
10 e meus olhos se gastam de tanta aflição.

– Clamo a vós, ó Senhor, sem cessar, todo o dia, *
minhas mãos para vós se levantam em prece.
–11 Para os mortos, acaso, faríeis milagres? *
poderiam as sombras erguer-se e louvar-vos?

–12 No sepulcro haverá quem vos cante o amor *
e proclame entre os mortos a vossa verdade?
–13 Vossas obras serão conhecidas nas trevas, *
vossa graça, no reino onde tudo se esquece?

–14 Quanto a mim, ó Senhor, clamo a vós na aflição, *
minha prece se eleva até vós desde a aurora.
–15 Por que vós, ó Senhor, rejeitais a minh'alma? *
E por que escondeis vossa face de mim?

–16 Moribundo e infeliz desde o tempo da infância, *
esgotei-me ao sofrer sob o vosso terror.
–17 Vossa ira violenta caiu sobre mim *
e o vosso pavor reduziu-me a um nada!

–18 Todo dia me cercam quais ondas revoltas, *
todos juntos me assaltam, me prendem, me apertam.
–19 Afastastes de mim os parentes e amigos, *
e por meus familiares só tenho as trevas!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Clamo a vós, ó Senhor, sem cessar todo o dia,
oh! não escondais vossa face de mim!

Leitura breve Is 12,5-6

Cantai ao Senhor as grandes coisas que fez; é preciso que isto seja conhecido em toda
parte. Exulta de alegria entre louvores, Cidade de Sião, pois no meio de ti se manifesta a
grandeza do Santo de Israel.

V. A verdade e o amor se encontrarão.
R. A justiça e a paz se abraçarão.

Oração

Deus eterno e todo-poderoso, ouvi as nossas súplicas. Assim como o vosso Filho único,
revestido da nossa humanidade, foi hoje apresentado no Templo, fazei que nos
apresentemos diante de vós com os corações purificados. Por nosso Senhor Jesus Cristo,
vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Demos graças a Deus.


Apresentação do Senhor
Invitatório

___________________________________________________



Ofício das Leituras


V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.
Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras.

Hino

Dignou-se obedecer à lei mosaica

e dela aos rituais se sujeitar

o rei das legiões do Pai celeste,

que fez o céu, a terra e o mar.



A mãe feliz carrega no seu colo

a Deus, que em nossa carne se ocultou,

e beija castamente aqueles lábios

a cuja ordem tudo se criou.



É ele a luz que brilha sobre os povos,

a glória de Israel, seu povo amado.

Foi posto para ruína e salvação,

até que seja o oculto revelado.



A glória ao Pai eterno pelos séculos.

Império e glória, ó Filho, a vós convém.

Poder e salvação ao Santo Espírito.

Louvor aos Três nos séculos. Amém.

Salmodia

Ant. 1 Este Menino há de ser
ocasião de salvação e de ruína para muitos.

Salmo 2

–1 Por que os povos agitados se revoltam? *
por que tramam as nações projetos vãos?
=2 Por que os reis de toda a terra se reúnem, †
e conspiram os governos todos juntos *
contra o Deus onipotente e o seu Ungido?

–3 “Vamos quebrar suas correntes”, dizem eles, *
“e lançar longe de nós o seu domínio!”
–4 Ri-se deles o que mora lá nos céus; *
zomba deles o Senhor onipotente.
–5 Ele, então, em sua ira os ameaça, *
e em seu furor os faz tremer, quando lhes diz:

–6 “Fui eu mesmo que escolhi este meu Rei, *
e em Sião, meu monte santo, o consagrei!”
=7 O decreto do Senhor promulgarei, †
foi assim que me falou o Senhor Deus: *
“Tu és meu Filho, e eu hoje te gerei!

=8 Podes pedir-me, e em resposta eu te darei †
por tua herança os povos todos e as nações, *
e há de ser a terra inteira o teu domínio.
–9 Com cetro férreo haverás de dominá-los, *
e quebrá-los como um vaso de argila!”

–10 E agora, poderosos, entendei; *
soberanos, aprendei esta lição:
–11 Com temor servi a Deus, rendei-lhe glória *
e prestai-lhe homenagem com respeito!

–12 Se o irritais, perecereis pelo caminho, *
pois depressa se acende a sua ira!
– Felizes hão de ser todos aqueles *
que põem sua esperança no Senhor!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Este Menino há de ser
ocasião de salvação e de ruína para muitos.

Ant. 2 Radiante de esplendor, põe-te de pé:

Despontou a tua luz, Jerusalém,

e a glória do Senhor te iluminou!



Salmo 18(19)A

– 2Os céus proclamam a glória do Senhor, *
e o firmamento, a obra de suas mãos;
– 3o dia ao dia transmite esta mensagem, *
a noite à noite publica esta notícia.

– 4Não são discursos nem frases ou palavras, *
nem são vozes que possam ser ouvidas;
– 5seu som ressoa e se espalha em toda a terra, *
chega aos confins do universo a sua voz.

– 6Armou no alto uma tenda para o sol; *
ele desponta no céu e se levanta
– como um esposo do quarto nupcial, *
como um herói exultante em seu caminho.

– 7De um extremo do céu põe-se a correr *
e vai traçando o seu rastro luminoso,
– até que possa chegar ao outro extremo, *
e nada pode fugir ao seu calor.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.



Ant. Radiante de esplendor, põe-te de pé:

Despontou a tua luz, Jerusalém,

e a glória do Senhor te iluminou!



Ant. 3 De alegria exulta, ó nova Sião!

Eis que vem o teu Rei, humilde e bondoso,

salvar o seu povo!



Salmo 44(45)



=2Transborda um poema do meu coração; †

vou cantar-vos, ó Rei, esta minha canção; *

minha língua é qual pena de um ágil escriba.



=3Sois tão belo, o mais belo entre os filhos dos homens! †

Vossos lábios espalham a graça, o encanto, *

porque Deus, para sempre, vos deu sua bênção.



–4Levai vossa espada de glória no flanco, *

herói valoroso, no vosso esplendor;



–5saí para a luta no carro de guerra *

em defesa da fé, da justiça e verdade!



= Vossa mão vos ensine valentes proezas, †

6vossas flechas agudas abatam os povos *

e firam no seu coração o inimigo!


=7Voso trono, ó Deus, é eterno, é sem fim; †

vosso cetro real é sinal de justiça: *

8Vós amais a justiça e odiais a maldade.



= É por isso que Deus vos ungiu com seu óleo, †

deu-vos mais alegria que aos vossos amigos. *

9Vossas vestes exalam preciosos perfumes.



– De ebúrneos palácios os sons vos deleitam. *

10 As filhas de reis vêm ao vosso encontro,

– e à vossa direita se encontra a rainha *

com veste esplendente de ouro de Ofir.



–11 Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto: *

“Esquecei vosso povo e a casa paterna!

–12 Que o Rei se encante com vossa beleza! *

Prestai-lhe homenagem: é vosso Senhor!



–13 O povo de Tiro vos traz seus presentes, *

os grandes do povo vos pedem favores.

–14 Majestosa, a princesa real vem chegando, *

vestida de ricos brocados de ouro.



–15 Em vestes vistosas ao Rei se dirige, *

e as virgens amigas lhe formam cortejo;

–16 entre cantos de festa e com grande alegria, *

ingressam, então, no palácio real”.



–17 Deixareis vossos pais, mas tereis muitos filhos; *

fareis deles os reis soberanos da terra.

–18 Cantarei vosso nome de idade em idade, *

para sempre haverão de louvar-vos os povos!



– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.



Ant. De alegria exulta, ó nova Sião!

Eis que vem o teu Rei, humilde e bondoso,

salvar o seu povo!



V. Recordamos, Senhor Deus, vossa bondade,

R. Em meio ao vosso templo.



Primeira leitura

Do livro do Êxodo 13,1-3a.11-16



Consagração do primogênito

Naqueles dias: 1O Senhor falou a Moisés, dizendo: 2“Consagra-me todo o primogênito,

todo o primeiro parto entre os filhos de Israel, tanto de homens como de animais,

porque todas as coisas são minhas”.



3Moisés disse ao povo:

11“Quando o Senhor te houver introduzido na terra dos cananeus e a tiver dado a ti,

conforme te jurou e a teus pais, 12consagrarás ao Senhor todos os primogênitos desde o

ventre materno e também as primeiras crias do teu gado; consagrarás ao Senhor tudo o

que tiveres do sexo masculino. 13Resgatarás o primogênito do jumento com uma ovelha;

se, porém, não o resgatares, deverás matá-lo. Resgatarás com dinheiro todo o

primogênito de teus filhos. 14E quando o teu filho, amanhã, te perguntar: ‘Que significa

isto?’, tu lhe responderás: ‘O Senhor tirou-nos do Egito, da casa da escravidão, com

mão forte. 15Como o Faraó se obstinasse em não nos deixar partir, o Senhor matou todos

os primogênitos na terra do Egito, desde os primogênitos dos homens até aos

primogênitos dos animais. Por isso, eu sacrifico ao Senhor todo o primogênito macho

dos animais, e resgato todo o primogênito de meus filhos’. 16Isto será para ti como um

sinal em tua mão, e como uma marca entre os teus olhos para lembrança; pois foi com

mão forte que o Senhor nos tirou do Egito”.



Responsório Cf. Lc 2,28



R. Sião, enfeita o teu quarto nupcial

e recebe o teu Rei, Cristo Jesus,

* Que a Virgem concebeu e deu à luz,

e, conservando a virgindade após o parto,

adorou aquele mesmo a quem gerou.

V. Simeão toma o Menino nos seus braços

dá graças, bendizendo ao Senhor. * Que a Virgem.



Segunda leitura

Dos Sermões de São Sofrônio, bispo



(Orat. 3, de Hypapante,6.7: PG87,3,3291-3293)



(Séc.VII)



Recebamos a luz clara e eterna

Todos nós que celebramos e veneramos com tanta piedade o mistério do encontro do

Senhor, corramos para ele cheios de entusiasmo. Ninguém deixe de participar deste

encontro, ninguém recuse levar sua luz.



Acrescentamos também algo ao brilho das velas, para significar o esplendor divino

daquele que se aproxima e ilumina todas as coisas; ele dissipa as trevas do mal com a

sua luz eterna, e também manifesta o esplendor da alma, com o qual devemos correr ao

encontro com Cristo.



Do mesmo modo que a Mãe de Deus e Virgem imaculada trouxe nos braços a

verdadeira luz e a comunicou aos que jaziam nas trevas, assim também nós: iluminados

pelo seu fulgor e trazendo na mão uma luz que brilha diante de todos, corramos

pressurosos ao encontro daquele que é a verdadeira luz.



Realmente, a luz veio ao mundo (cf. Jo 1,9) e dispersou as sombras que o cobriam; o sol

que nasce do alto nos visitou (cf. Lc 1,78) e iluminou os que jaziam nas trevas. É este o

significado do mistério que hoje celebramos. Por isso caminhamos com lâmpadas nas

mãos, por isso acorremos trazendo as luzes, não apenas simbolizando que a luz já

brilhou para nós, mas também para anunciar o esplendor maior que dela nos virá no

futuro. Por este motivo, vamos todos juntos, corramos ao encontro de Deus.



Chegou a verdadeira luz, que vindo ao mundo ilumina todo ser humano (Jo 1,9).

Portanto, irmãos, deixemos que ela nos ilumine, que ela brilhe sobre todos nós.



Que ninguém fique excluído deste esplendor, ninguém insista em continuar mergulhado

na noite. Mas avancemos todos resplandecentes; iluminados por este fulgor, vamos

todos ao seu encontro e com o velho Simeão recebamos a luz clara e eterna. Associemo-

nos à sua alegria e cantemos com ele um hino de ação de graças ao Criador e Pai da luz,

que enviou a luz verdadeira e, afastando todas as trevas, nos fez participantes do seu

esplendor.



A salvação de Deus, preparada diante de todos os povos, manifestou a glória que nos

pertence, a nós que somos o novo Israel. Também fez com que víssemos, graças a ele,

essa salvação e fôssemos absolvidos da antiga e tenebrosa culpa. Assim aconteceu com

Simeão que, depois de ver a Cristo, foi libertado dos laços da vida presente.



Também nós, abraçando pela fé a Cristo Jesus que nasceu em Belém, de pagãos que

éramos, nos tornamos povo de Deus – Jesus é, com efeito, a salvação de Deus Pai – e

vemos com nossos próprios olhos o Deus feito homem. E porque vimos a presença de

Deus e a recebemos, por assim dizer,nos braços do nosso espírito, somos chamados de

novo Israel. Todos os anos celebramos novamente esta festa, para nunca nos

esquecermos daquele que um dia há de voltar.



Responsório Ez 43,5; cf Lc 2,22



R. A glória do Senhor entrou no santuário

pela porta oriental,

* E o templo ficou cheio da glória do Senhor.

V. José e Maria levaram ao templo o Menino Jesus.

* E o templo.


HINO TE DEUM (A VÓS, Ó DEUS, LOUVAMOS)



A vós, ó Deus, louvamos,

a vós, Senhor, cantamos.

A vós, Eterno Pai,

adora toda a terra.



A vós cantam os anjos,

os céus e seus poderes:

Sois Santo, Santo, Santo,

Senhor, Deus do universo!



Proclamam céus e terra

a vossa imensa glória.

A vós celebra o coro

glorioso dos Apóstolos,



Vos louva dos Profetas

a nobre multidão

e o luminoso exército

dos vossos santos Mártires.



A vós por toda a terra

proclama a Santa Igreja,

ó Pai onipotente,

de imensa majestade,



e adora juntamente

o vosso Filho único,

Deus vivo e verdadeiro,

e ao vosso Santo Espírito.



Ó Cristo, Rei da glória,

do Pai eterno Filho,

nascestes duma Virgem,

a fim de nos salvar.



Sofrendo vós a morte,

da morte triunfastes,

abrindo aos que têm fé

dos céus o reino eterno.



Sentastes à direita

de Deus, do Pai na glória.

Nós cremos que de novo

vireis como juiz.



Portanto, vos pedimos:

salvai os vossos servos,

que vós, Senhor, remistes

com sangue precioso.



Fazei-nos ser contados,

Senhor, vos suplicamos,

em meio a vossos santos

na vossa eterna glória.



(A parte que se segue pode ser omitida, se for oportuno).



Salvai o vosso povo.

Senhor, abençoai-o.

Regei-nos e guardai-nos

até a vida eterna.



Senhor, em cada dia,

fiéis, vos bendizemos,

louvamos vosso nome

agora e pelos séculos.



Dignai-vos, neste dia,

guardar-nos do pecado.

Senhor, tende piedade

de nós, que a vós clamamos.



Que desça sobre nós,

Senhor, a vossa graça,

porque em vós pusemos

a nossa confiança.



Fazei que eu, para sempre,

não seja envergonhado:

Em vós, Senhor, confio,

sois vós minha esperança!



Oração

Deus eterno e todo-poderoso, ouvi as nossas súplicas. Assim como o vosso Filho único,

revestido da nossa humanidade, foi hoje apresentado no Templo, fazei que nos

apresentemos diante de vós com os corações purificados. Por nosso Senhor Jesus Cristo,

vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.
R. Graças a Deus.
Compartilhe este artigo, evangelize! :

0 comentários:

Deixe seu comentario

O que você achou do artigo... !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Support : | |
Copyright © 2011. Nossa Senhora de Medjugorje - All Rights Reserved
Template Created by Nossa Senhora de Medjugorje, Aparições de Nossa Senhora
Proudly powered by