Quinta Feira IV Semana do Advento

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011




Laudes

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.
.

Hino

Os profetas, com voz poderosa,
anunciam a vinda de Cristo,
proclamando a feliz salvação,
que liberta no tempo previsto.

Ao fulgor da manhã radiosa,
arde em fogo o fiel coração,
quando a voz, portadora de glória,
faz no mundo soar seu pregão.

Não foi para punir este mundo
que ele veio na vinda primeira.
Ele veio sarar toda chaga
e salvar quem no mal perecera.

Mas a vinda segunda anuncia
que o Cristo Senhor vai chegar,
para abrir-nos as portas do reino
e os eleitos no céu coroar.

Luz eterna nos é prometida
e se eleva o astro-rei salvador,
que nos chama à grandeza celeste
com a luz do divino esplendor.

Ó Jesus, só a vós desejamos
para sempre no céu contemplar,
e por vossa visão saciados,
glória eterna sem fim vos cantar.

Salmodia

Ant. 1 Senhor, meu Deus, a vós elevo a minha alma,
vinde e salvai-me, pois em vós me refugio!

Salmo 142(143),1-11

Prece na aflição
Ninguém é justificado por observar a Lei de Moisés, mas por crer em Jesus Cristo (Gl 2,16).

–1 Ó Senhor, escutai minha prece, *
ó meu Deus, atendei minha súplica!
– Respondei-me, ó vós, Deus fiel, *
escutai-me por vossa justiça!

=2 Não chameis vosso servo a juízo, †
pois diante da vossa presença *
não é justo nenhum dos viventes.

–3 O inimigo persegue a minha alma, *
ele esmaga no chão minha vida
– e me faz habitante das trevas, *
como aqueles que há muito morreram.
–4 Já em mim o alento se extingue, *
o coração se comprime em meu peito!

=5 Eu me lembro dos dias de outrora †
e repasso as vossas ações, *
recordando os vossos prodígios.
=6 Para vós minhas mãos eu estendo; †
minha alma tem sede de vós, *
como a terra sedenta e sem água.

–7 Escutai-me depressa, Senhor, *
o espírito em mim desfalece!
= Não escondais vossa face de mim! †
Se o fizerdes, já posso contar-me *
entre aqueles que descem à cova!

–8 Fazei-me cedo sentir vosso amor, *
porque em vós coloquei a esperança!
– Indicai-me o caminho a seguir, *
pois a vós eu elevo a minha alma!
–9 Libertai-me dos meus inimigos, *
porque sois meu refúgio, Senhor!

–10 Vossa vontade ensinai-me a cumprir, *
porque sois o meu Deus e Senhor!
– Vosso Espírito bom me dirija *
e me guie por terra bem plana!

–11 Por vosso nome e por vosso amor *
conservai, renovai minha vida!
– Pela vossa justiça e clemência, *
arrancai a minha alma da angústia!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Senhor, meu Deus, a vós elevo a minha alma,
vinde e salvai-me, pois em vós me refugio!

Ant. 2 Recompensai, Senhor, aqueles que esperam vossa vinda,
para que todos reconheçam a verdade dos profetas.

Cântico Is 66,10-14a

Consolação e alegria na Cidade Santa
A Jerusalém celeste é livre, e é a nossa mãe (Gl 4,26).

=10 Alegrai-vos com Sião †
e exultai por sua causa, *
todos vós que a amais;
– tomai parte no seu júbilo, *
todos vós que a lamentais!

=11 Podereis alimentar-vos, †
saciar-vos com fartura *
com seu leite que consola;
– podereis deliciar-vos *
nas riquezas de sua glória.

=12 Pois assim fala o Senhor: †
'Vou fazer correr a paz *
para ela como um rio,
– e as riquezas das nações *
qual torrente a transbordar.

= Vós sereis amamentados †
e ao colo carregados *
e afagados com carícias;
–13 como a mãe consola o filho. *
em Sião vou consolar-vos.

=14 Tudo isso vós vereis, †
e os vossos corações *
de alegria pulsarão;
– vossos membros, como plantas, *
tomarão novo vigor'.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Recompensai, Senhor, aqueles que esperam vossa vinda,
para que todos reconheçam a verdade dos profetas.

Ant. 3 Voltai-vos, Senhor, para nós por um pouco.
Não tardeis mais em vir até nós, vossos servos!

Salmo 146(147 A)

Poder e bondade de Deus
A vós, ó Deus, louvamos, a vós, Senhor, cantamos.

=1 Louvai o Senhor Deus, porque ele é bom, †
cantai ao nosso Deus, porque é suave: *
ele é digno de louvor, ele o merece! –

–2 O Senhor reconstruiu Jerusalém, *
e os dispersos de Israel juntou de novo;
–3 ele conforta os corações despedaçados, *
ele enfaixa suas feridas e as cura;
–4 fixa o número de todas as estrelas *
e chama a cada uma por seu nome.

–5 É grande e onipotente o nosso Deus, *
seu saber não tem medida nem limites.
–6 O Senhor Deus é o amparo dos humildes, *
mas dobra até o chão os que são ímpios.
–7 Entoai, cantai a Deus ação de graças, *
tocai para o Senhor em vossas harpas!

–8 Ele reveste todo o céu com densas nuvens, *
e a chuva para a terra ele prepara;
– faz crescer a verde relva sobre os montes *
e as plantas que são úteis para o homem;
–9 ele dá aos animais seu alimento, *
e ao corvo e a seus filhotes que o invocam.

–10 Não é a força do cavalo que lhe agrada, *
nem se deleita com os músculos do homem,
–11 mas agradam ao Senhor os que o respeitam, *
os que confiam, esperando em seu amor!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Voltai-vos, Senhor, para nós por um pouco.
Não tardeis mais em vir até nós, vossos servos!

Leitura breve Is 45,8

Céus, deixai cair orvalho das alturas, e que as nuvens façam chover justiça;
abra-se a terra e germine a salvação; brote igualmente a salvação.

Responsório breve

R. Eis que vem vosso Deus Salvador!
* Eis vosso Deus e Senhor. R. Eis que vem.
V.Toda a carne verá sua glória. * Eis vosso Deus.
Glória ao Pai.R. Eis que vem.

CÂNTICO EVANGÉLICO(BENEDICTUS) Lc 1,68-79

Ant. Quando a tua saudação ressoou aos meus ouvidos,
a criança estremeceu de alegria no meu ventre. Aleluia.

O Messias e seu Precursor

–68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, *
porque a seu povo visitou e libertou;
–69 e fez surgir um poderoso Salvador *
na casa de Davi, seu servidor,

–70 como falara pela boca de seus santos, *
os profetas desde os tempos mais antigos,
–71 para salvar-nos do poder dos inimigos *
e da mão de todos quantos nos odeiam.

–72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, *
recordando a sua santa Aliança
–73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, *
de conceder-nos 74 que, libertos do inimigo,
= a ele nós sirvamos sem temor †
75 em santidade e em justiça diante dele, *
enquanto perdurarem nossos dias.

=76 Serás profeta do Altíssimo, ó menino, †
pois irás andando à frente do Senhor *
para aplainar e preparar os seus caminhos,
–77 anunciando ao seu povo a salvação, *
que está na remissão de seus pecados;

–78 pela bondade e compaixão de nosso Deus, *
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,
–79 lá do alto como luz resplandecente *
para iluminar a quantos jazem entre as trevas
= e na sombra da morte estão sentados †
e para dirigir os nossos passos, *
guiando-os no caminho da paz.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Quando a tua saudação ressoou aos meus ouvidos,
a criança estremeceu de alegria no meu ventre. Aleluia.

Preces

Oremos, irmãos e irmãs diletos, a Cristo nosso Redentor,
que veio ao mundo para nossa justificação; e digamos com alegria:

R. Vinde, Senhor Jesus!

Senhor Jesus Cristo, cujo nascimento segundo a carne foi anunciado pelos antigos profetas,
– dai novo vigor às virtudes que fizestes nascer em nosso coração.R.

A nós que anunciamos ao mundo vossa redenção,
– concedei a salvação e a paz. R.

Vós, que viestes salvar os corações atribulados,
– curai as enfermidades do vosso povo. R.

Vós, que viestes reconciliar o mundo com o Pai,
– livrai-nos de toda condenação quando voltardes como juiz no último dia. R.

(intenções livres)

Pai nosso.

Oração

Deus de misericórdia, vendo o homem entregue à morte, quisestes salvá-lo
pela vinda do vosso Filho; fazei que, ao proclamar humildemente o mistério
da encarnação, entremos em comunhão com o Redentor. Que convosco vive
e reina na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém.


Vésperas

V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Hino

Recebe, Virgem Maria,
no casto seio materno,
dos céus, o Verbo Divino
vindo da boca do Eterno.

Fecunda, a sombra do Espírito
do alto céu te ilumina,
para gerares um Filho
de natureza divina.

A porta santa do templo
eternamente fechado,
feliz e pronta se abre,
somente ao Rei esperado.

Desceu à terra o Senhor,
por Gabriel anunciado;
promessa antiga aos profetas,
antes da aurora gerado.

Exulta o coro dos anjos,
a terra canta louvor:
Para salvar os perdidos,
humilde, vem o Senhor.

Ó Cristo, Rei piedoso,
a Vós e ao Pai toda a glória,
Com o Espírito Santo:
eterna honra e vitória.

Salmodia

Ant. 1 Senhor, meu Deus, a vós elevo a minha alma,
vinde e salvai-me, pois em vós me refugio!

Salmo 143(144)

Oração pela vitória e pela paz
As suas mãos foram treinadas para a luta, quando venceu o mundo conforme disse: eu venci o mundo (Sto. Hilário).

I
=1 Bendito seja o Senhor, meu rochedo, †
que adestrou minhas mãos para a luta, *
e os meus dedos treinou para a guerra!

–2 Ele é meu amor, meu refúgio, *
libertador, fortaleza e abrigo;
– é meu escudo: é nele que espero, *
ele submete as nações a meus pés.

=3 Que é o homem, Senhor, para vós? †
Por que dele cuidais tanto assim, *
e no filho do homem pensais?
–4 Como o sopro de vento é o homem, *
os seus dias são sombra que passa.

–5 Inclinai vossos céus e descei, *
tocai os montes, que eles fumeguem.
–6 Fulminai o inimigo com raios, *
lançai flechas, Senhor, dispersai-o!

=7 Lá do alto estendei vossa mão, †
retirai-me do abismo das águas, *
e salvai-me da mão dos estranhos;
–8 sua boca só tem falsidade, *
sua mão jura falso e engana.

– – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Senhor, meu Deus, a vós elevo a minha alma,
vinde e salvai-me, pois em vós me refugio!

Ant. 2 Recompensai, Senhor, aqueles que esperam vossa vinda,
para que todos reconheçam a verdade dos profetas.

II
–9 Um canto novo, meu Deus, vou cantar-vos, *
nas dez cordas da harpa louvar-vos,
–10 a vós que dais a vitória aos reis *
e salvais vosso servo Davi.

–11 Da espada maligna livrai-me *
e salvai-me da mão dos estranhos;
– sua boca só tem falsidade, *
sua mão jura falso e engana.

–12 Que nossos filhos, quais plantas viçosas, *
cresçam sadios, e fortes floresçam!
– As nossas filhas, colunas robustas, *
que um artista esculpiu para o templo.

–13 Nossos celeiros transbordem de cheios, *
abastecidos de todos os frutos!
– Nossas ovelhas em muitos milhares *
se multipliquem nas nossas campinas!

=14 O nosso gado também seja gordo! †
Não haja brechas em nossas muralhas, *
nem desterro ou gemido nas praças!
–15 Feliz o povo a quem isto acontece, *
e que tem o Senhor por seu Deus!

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Recompensai, Senhor, aqueles que esperam vossa vinda,
para que todos reconheçam a verdade dos profetas.

Ant. 3 Voltai-vos, Senhor, para nós por um pouco.
Não tardeis mais em vir até nós, vossos servos!

Cântico Ap 11,17-18; 12,10b-12a

O julgamento de Deus

–1,17 Graças vos damos, Senhor Deus onipotente, *
a Vós que sois, a Vós que éreis e sereis,
– porque assumistes o poder que vos pertence, *
e enfim tomastes posse como rei!

(R. Nós vos damos graças, nosso Deus!)

= 18 As nações se enfureceram revoltadas, †
mas chegou a vossa ira contra elas *
e o tempo de julgar vivos e mortos,
= e de dar a recompensa aos vossos servos, †
aos profetas e aos que temem vosso nome, *
aos santos, aos pequenos e aos grandes. (R.)

=12,10 Chegou agora a salvação e o poder †
e a realeza do Senhor e nosso Deus, *
e o domínio de seu Cristo, seu Ungido.
– Pois foi expulso o delator que acusava *
nossos irmãos, dia e noite, junto a Deus. (R.)

= 11 Mas o venceram pelo sangue do Cordeiro †
e o testemunho que eles deram da Palavra, *
pois desprezaram sua vida até à morte.
– 12 Por isso, ó céus, cantai alegres e exultai *
e vós todos os que neles habitais! (R.)

– – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Voltai-vos, Senhor, para nós por um pouco.
Não tardeis mais em vir até nós, vossos servos!

Leitura breve Tg 5,7-8.9b


Irmãos, ficai firmes até à vinda do Senhor.Vede o agricultor: ele espera o precioso fruto da terra

e fica firme até cair a chuva do outono ou da primavera. Também vós ficai firmes e fortalecei vossos corações,

porque a vinda do Senhor está próxima. Eis que o juiz está às portas.


Responsório breve



R. A vós, ó Deus, a nossa gratidão:

* Vosso nome está perto. R.A vós, ó Deus.

V. De vós,Senhor, virá a renovação. *Vosso nome.

Glória ao Pai. R. A vós, ó Deus.

Cântico evangélico (MAGNIFICAT) Lc 1,46-55

Ant. Ó Rei das nações. Desejado dos povos;
Ó Pedra angular, que os opostos unis:
Oh, vinde e salvai este homem tão frágil,
que um dia criastes do barro da terra!

A alegria da alma no Senhor

–46 A minha alma engrandece ao Senhor *
47 e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
–48 pois ele viu a pequenez de sua serva, *
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

–49 O Poderoso fez por mim maravilhas *
e Santo é o seu nome!
–50 Seu amor, de geração em geração, *
chega a todos que o respeitam;

–51 demonstrou o poder de seu braço, *
dispersou os orgulhosos;
–52 derrubou os poderosos de seus tronos *
e os humildes exaltou;

–53 saciou de bens os famintos, *
e despediu, sem nada, os ricos.
–54 Acolheu Israel, seu servidor, *
fiel ao seu amor,

–55 como havia prometido aos nossos pais, *
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ant. Ó Rei das nações. Desejado dos povos;
Ó Pedra angular, que os opostos unis:
Oh, vinde e salvai este homem tão frágil,
que um dia criastes do barro da terra!

Preces

Oremos, irmãos e irmãs caríssimos, a Cristo nosso Senhor, que por nossa causa se humilhou; e digamos cheios de alegria:



R. Vinde, Senhor Jesus!



Senhor Jesus, que viestes ao mundo para socorrer a humanidade,
– purificai de todo pecado as nossas almas e os nossos corpos. R.



Não deixeis que se separem de vós,
– aqueles que pelo mistério da encarnação vos dignastes chamar de irmãos. R.



Não castigueis eternamente os que remistes,
– quando vierdes para julgar o mundo. R.



Vós, que nesta vida nos cumulais com as riquezas infinitas da vossa bondade,
– fazei que alcancemos no céu a coroa imperecível da glória. R.



(intenções livres)



Nós vos recomendamos, Senhor, as almas daqueles que já se separaram do corpo;
– mortos para este mundo, vivam eternamente para vós. R.

Pai nosso.

Oração

Deus de misericórdia, vendo o homem entregue à morte, quisestes salvá-lo
pela vinda do vosso Filho; fazei que, ao proclamar humildemente o mistério
da encarnação, entremos em comunhão com o Redentor. Que convosco vive
e reina na unidade do Espírito Santo.

Conclusão da Hora

O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna. Amém


Ofício das Leituras





V. Vinde, ó Deus em meu auxílio.
R. Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Aleluia.
Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras.



Hino



Oh vinde depressa,

do seio da virgem,

Beleza dos céus!

O mundo admire:

um tal nascimento

é digno de Deus.



Não germe de homem,

mas sopro divino

no seio o gerou.

O verbo de Deus

se fez nossa carne,

o ventre deu flor.



A vida já cresce

no seio da Virgem

que guarda a pureza.

Deus mora em seu templo

e brilha a virtude

em toda a grandeza.



Que venha o herói

que é homem e é Deus,

do quarto nupcial,

correr glorioso

seu nobre caminho,

a trilha real.



Igual a Deus Pai,

reveste dos homens

a carne, a fraqueza,

e, desta maneira,

nos dá a virtude,

de Deus fortaleza.



Já brilha o presépio,

e um novo esplendor

a noite nos traz.

Que fujam as trevas,

a fé resplandeça

e reine a paz.



A vós, Rei piedoso,

e ao Pai que nos ama,

a glória convém.

Com vosso Espírito

reinais sobre o mundo

nos séculos. Amém.


Salmodia



Ant. 1 Foi vossa mão e a luz de vossa face,

que no passado salvaram nossos pais.



Salmo 43(44)



Calamidades do povo

Em tudo isso, somos mais que vencedores, graças àquele que nos amou (Rm 8,37).



I

–2 Ó Deus, nossos ouvidos escutaram, *

e contaram para nós, os nossos pais,

– as obras que operastes em seus dias, *

em seus dias e nos tempos de outrora:



=3 Expulsastes as nações com vossa mão, †

e plantastes nossos pais em seu lugar; *

para aumentá-los, abatestes outros povos.

–4 Não conquistaram essa terra pela espada, *

nem foi seu braço que lhes deu a salvação;



– foi, porém, a vossa mão e vosso braço *

e o esplendor de vossa face e o vosso amor.

–5 Sois vós, o meu Senhor e o meu Rei, *

que destes as vitórias a Jacó;

–6 com vossa ajuda é que vencemos o inimigo, *

por vosso nome é que pisamos o agressor.



–7 Eu não pus a confiança no meu arco, *

a minha espada não me pôde libertar;

–8 mas fostes vós que nos livrastes do inimigo, *

e cobristes de vergonha o opressor.

–9 Em vós, ó Deus, nos gloriamos todo dia, *

celebrando o vosso nome sem cessar.



– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.



Ant. Foi vossa mão e a luz de vossa face,

que no passado salvaram nossos pais.



Ant. 2 O Senhor não afasta de vós a sua face,

se a ele voltardes de todo coração.



II

–10 Porém, agora nos deixastes e humilhastes, *

já não saís com nossas tropas para a guerra!

–11 Vós nos fizestes recuar ante o inimigo, *

os adversários nos pilharam à vontade.



–12 Como ovelhas nos levastes para o corte, *

e no meio das nações nos dispersastes.

–13 Vendestes vosso povo a preço baixo, *

e não lucrastes muita coisa com a venda!



–14 De nós fizestes o escárnio dos vizinhos, *

zombaria e gozação dos que nos cercam;

–15 para os pagãos somos motivo de anedotas, *

zombam de nós a sacudir sua cabeça.



–16 À minha frente trago sempre esta desonra, *

e a vergonha se espalha no meu rosto,

–17 ante os gritos de insultos e blasfêmias *

do inimigo sequioso de vingança.



– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.



Ant. O Senhor não afasta de vós a sua face,

se a ele voltardes de todo coração.



Ant. 3 Levantai-vos, ó Senhor,

não nos deixeis eternamente!



III

–18 E tudo isso, sem vos termos esquecido *

e sem termos violado a Aliança;

–19 sem que o nosso coração voltasse atrás, *

nem se afastassem nossos pés de vossa estrada!

–20 Mas à cova dos chacais nos entregastes *

e com trevas pavorosas nos cobristes!



–21 Se tivéssemos esquecido o nosso Deus *

e estendido nossas mãos a um Deus estranho,

–22 Deus não teria, por acaso, percebido, *

ele que vê o interior dos corações?

–23 Por vossa causa nos massacram cada dia *

e nos levam como ovelha ao matadouro!



–24 Levantai-vos, ó Senhor, por que dormis? *

Despertai! Não nos deixeis eternamente!

–25 Por que nos escondeis a vossa face *

e esqueceis nossa opressão, nossa miséria?



–26 Pois arrasada até o pó está noss’alma *

e ao chão está colado o nosso ventre.

– Levantai-vos, vinde logo em nosso auxílio, *

libertai-nos pela vossa compaixão!



– Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. *
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.



Ant. Levantai-vos, ó Senhor, não nos deixeis eternamente!



V. Escutai, povos todos a Palavra do Senhor.

R. E anunciai-a até os confins de toda a terra.


Primeira leitura
Do Livro do Profeta Isaías 49,14–50,1


A restauração de Sião

49,14 Disse Sião: “O Senhor abandonou-me,
o Senhor esqueceu-se de mim!”
15 Acaso pode a mulher esquecer-se do filho pequeno,
a ponto de não ter pena do fruto de seu ventre?
Se ela se esquecer, eu, porém, não me esquecerei de ti.
16 Eis que gravei teu nome, Sião, em minhas mãos,
os teus muros estão sempre à minha frente.
17 Teus construtores apressam-se em chegar
e já se foram os que te arruinaram e saquearam.
18 Ergue os olhos em redor e vê:
todos esses se reuniram e vieram a ti.
“Eu juro, diz o Senhor,
que todos serão como ornamento do teu vestido,
e todos te rodearão como uma noiva”.
19 Apesar das ruínas e das praças desertas,
e da terra arrasada,
desde agora serás apertada para tantos habitantes,
enquanto que para longe fugirão os que te destruíram.
20 Ainda soará aos teus ouvidos
a voz dos filhos que perdeste:
“Este lugar é apertado para mim,
arranja-me espaço para morar”.
21 Dirás em teu íntimo:
“Quem gerou para mim estes filhos?
Eu, mãe sem filhos, mãe estéril,
desterrada e escrava!
Quem criou estes filhos?
Eu tinha sido deixada sozinha!
E onde estavam estes filhos?”
22 Isto diz o Senhor Deus:
“Eis que acenarei com a mão para as nações
e levantarei meu sinal entre os povos;
teus filhos serão levados nos braços
e tuas filhas carregadas aos ombros.
23 Teus aios serão reis,
tuas amas, rainhas;
hão de adorar-te com a face abaixada para o chão
e de lamber a poeira dos teus pés.
E saberás que eu sou o Senhor:
os que em mim esperam não se frustrarão”.
24 Acaso se tira de um valente a sua presa,
ou se toma de um caçador forte a sua caça?
25 Isto diz o Senhor:
“Certamente, pode-se tomar do valente o prisioneiro
e salvar das mãos do caçador forte a presa feita;
eu lutarei com os que lutavam contigo
e eu salvarei os teus filhos.
26 Alimentarei teus inimigos com suas carnes,
eles se embriagarão com o vinho do próprio sangue;
todo o homem ficará sabendo
que eu sou o Senhor, teu Salvador,
e o teu libertador, o Forte de Jacó”.
51,1 Isto diz o Senhor:
“Onde está a carta de divórcio de vossa mãe,
que me serviu para repudiá-la?
Ou qual é o meu credor,
a quem eu vos vendi?
Pois bem:
fostes vendidos em razão de vossas iniqüidades,
vossa mãe foi repudiada em razão de vossos crimes”.



Responsório Is 49,15; cf. Sl 26(27),10

R. Pode a mãe se esquecer de seu filhinho,
e do fruto de seu ventre não ter pena?
E mesmo que existisse tal mulher,

* Eu jamais te esquecerei, diz o Senhor.

V. Se meu pai e minha mãe me abandonarem,
o Senhor me acolherá em seu amor.

* Eu jamais te esquecerei, diz o Senhor.



Segunda leitura
Da Exposição sobre o Evangelho de São Lucas, de São Beda Venerável, presbítero,

(Lib. 1, 46-55: CCL 120, 37-39)

(Séc. VIII)


Magnificat

E Maria disse: A minh’alma engrandece o Senhor e exulta meu espírito em Deus, meu Salvador (Lc 1,46-47).


O Senhor, diz ela, elevou-me por um dom tão grande e inaudito, que nenhuma palavra o pode descrever e mesmo no íntimo do coração é difícil compreendê-lo. Por isso dedico todas as forças de meu ser ao louvor e à ação de graças, contemplando a grandeza daquele que é eterno, e ofereço com alegria minha vida, tudo que sinto e penso, porque meu espírito rejubila pela divindade eterna de Jesus, o Salvador, que concebi e é gerado em meu seio.



O Poderoso fez em mim maravilhas, e santo é o seu nome! (Lc 1,49).



Estas palavras se relacionam com o início do cântico que diz: A minh’alma engrandece o Senhor. De fato, só a alma em quem o Senhor se dignou fazer maravilhas pode engrandecê-lo e louvá-lo dignamente e dizer, exortando os que compartilham seus desejos e aspirações: Comigo engrandecei ao Senhor Deus, exaltemos todos juntos o seu nome (Sl 33,4).



Quem conhece o Senhor e é negligente em proclamar sua grandeza e santificar o seu nome, será considerado o menor no Reino dos Céus (Mt 5,19). Diz-se que santo é o seu nome porque, pelo seu poder ilimitado, transcende toda criatura e está infinitamente separado de todas as coisas criadas.



Acolhe Israel, seu servidor, fiel ao seu amor (Lc 1,54).



Israel é, com razão, denominado servidor do Senhor, porque, sendo obediente e humilde, foi por ele acolhido para ser salvo, como diz Oséias: Quando Israel era criança, eu já o amava (Os 11,1). Aquele que recusa humilhar-se não pode certamente ser salvo, nem dizer com o Profeta: Quem me protege e me ampara é meu Deus; é o Senhor quem sustenta a minha vida! (Sl 53,6). Mas, quem se fizer humilde como uma criança, esse é o maior no Reino dos Céus (cf. Mt 18,4).



Como havia prometido a nossos pais, em favor de Abraão e de seus filhos para sempre (Lc 1,55).



Trata-se da descendência de Abraão segundo o espírito e não segundo a carne, isto é, não apenas dos filhos segundo a natureza, mas de todos que seguiram o exemplo da sua fé, fossem eles circuncidados ou incircuncisos. Pois o próprio Abraão, ainda incircunciso, acreditou e isto lhe foi imputado como justiça.



A vinda do Salvador foi, portanto, prometida a Abraão e a seus filhos para sempre, isto é, aos filhos da promessa, dos quais se diz: Sendo de Cristo, sois então descendência de Abraão, herdeiros segundo a promessa (Gl 3,29).



É com razão que, antes do nascimento do Senhor e de João, suas mães profetizam, para que, tendo o pecado começado pela mulher, os bens comecem igualmente por ela; e se foi pela sedução de uma só mulher que a morte foi introduzida no mundo, agora é pela profecia de duas mulheres que se anuncia ao mundo a salvação.



Responsório Lc 1,48-50



R. As gerações hão de chamar-me de bendita:

* O Poderoso fez em mim maravilhas,
e Santo é o seu nome.

V. Seu amor para sempre se estende
sobre aqueles que o temem. * O Poderoso.



Oração

Deus de misericórdia, vendo o homem entregue à morte, quisestes salvá-lo pela vinda do vosso Filho; fazei que, ao proclamar humildemente o mistério da encarnação, entremos em comunhão com o Redentor. Que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo.



Conclusão da Hora

V. Bendigamos ao Senhor.

R. Demos graças a Deus
Compartilhe este artigo, evangelize! :

0 comentários:

Deixe seu comentario

O que você achou do artigo... !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Support : | |
Copyright © 2011. Nossa Senhora de Medjugorje - All Rights Reserved
Template Created by Nossa Senhora de Medjugorje, Aparições de Nossa Senhora
Proudly powered by