Maria Simma e as almas do purgatório

terça-feira, 13 de agosto de 2013



Queridos irmãos, queridas irmãs, a paz! Continuamos a publicar alguns relatos de Maria Simma, uma alma mística dos nossos dias que, durante quase toda a sua vida, teve – e ainda tem – um contato frequente com as almas do purgatório. Esses relatos foram tirados do relatório sobre Maria Simma, escrito por seu diretor espiritual, Padre Alfonse Matt.

A VISÃO DO PURGATÓRIO
“‘O purgatório está em muitos lugares’, respondeu uma vez Maria Simma. ‘As almas não vêm do purgatório, mas vêm com o purgatório. Maria Simma viu o purgatório de diferentes maneiras. Há enormes multidões de almas no purgatório. É um contínuo vaivém. Uma vez viu um grande número de almas, completamente desconhecidas. As que haviam pecado contra a fé traziam uma chama escura sobre o coração, outras, que haviam pecado por impureza, traziam uma chama vermelha.
Depois viu também as almas em grupos: padres, religiosos, religiosas, viu católicos, protestantes e pagãos. As almas dos católicos devem sofrer mais que as dos protestantes. Os pagãos, em compensação, têm um purgatório ainda mais leve, mas recebem menos ajuda e a sua pena dura mais tempo. Os católicos recebem mais ajuda e salvam-se muito mais depressa.
Viu ainda muitos religiosos e religiosas, condenados ao purgatório por sua tibieza e falta de amor. Até crianças de apenas seis anos podem precisar sofrer muito tempo no purgatório.
A maravilhosa harmonia existente entre o amor e a justiça de Deus no purgatório foi revelada a Maria Simma. Cada alma é castigada segundo a natureza de suas faltas e o grau de apego com que cometeu o pecado.
A intensidade do sofrimento não é a mesma para cada alma. Algumas devem sofrer como se sofre numa vida difícil sobre a terra e devem esperar para chegar à contemplação de Deus. Um dia de purgatório pesado é mais terrível que 10 anos de purgatório leve. A duração das penas é bem variável. Há ainda almas que devem sofrer duramente até o Juízo Final. Outras têm apenas meia hora para sofrer ou ainda bem menos; a bem dizer, atravessam voando o purgatório.
O demônio pode torturar almas do purgatório, principalmente as que foram causa da condenação de outras. As almas do purgatório sofrem com admirável paciência e louvam a misericórdia de Deus, graças à qual escaparam do inferno. Sabem que mereceram sofrer e se arrependem de seus pecados. Imploram Maria, a Mãe de Misericórdia. Maria Simma viu também muitas almas que esperavam o socorro da Mãe de Deus. Quem acha durante a vida que o purgatório não é tão mau assim e disso se prevalece para pecar, deve pagar duramente por isso.

COMO PODEMOS AJUDAR AS ALMAS DO PURGATÓRIO?
1. Principalmente pelo Santo Sacrifício da missa, que é insubstituível.
2. Pelos sofrimentos expiatórios: todo sofrimento físico ou moral oferecido para as almas, traz grande alívio.
3. O rosário é, depois da missa, o meio mais eficaz de ajudar as almas. Através do rosário são libertadas diariamente numerosas almas que, sem essa ajuda, deveriam sofrer muitos anos ainda.
4. A Via-Sacra também pode lhes trazer grande reconforto.
5. De inestimável valia são as indulgências, dizem as almas.
São elas uma apropriação da expiação oferecida por Jesus a Deus, seu Pai. Todo aquele que, durante a vida, ganha muitas indulgências para os mortos, receberá também mais do que os outros na sua última hora; pois receberá a graça de ganhar inteiramente a indulgência plenária. Não tirar proveito desses tesouros da Igreja para as almas do purgatório é uma crueldade. Vejamos! Se você se encontrasse diante de uma montanha de moedas de ouro, com a possibilidade de pegar quantas quisesse para ajudar um pobre infeliz, incapaz, por si mesmo, de pegá-las, não seria cruel você recusar o trabalho de estender a mão para fazê-lo? Em muitos lugares, diminuem ano a ano o uso das orações indulgenciadas. Os fieis deviam ser exortados a fazê-las com frequência.
6. As esmolas e as boas obras, principalmente as doações para as Missões, ajudam as almas do purgatório.
7. Acender velas ajudam-nas também, primeiro por ser um ato de atenção e amor para com elas; depois, porque se são bentas, as velas iluminam a escuridão em que se encontram as almas.
Uma criança de 11 anos, da família Kaiser, pediu orações a Maria Simma. Estava no purgatório por ter, no Dia de Finados, apagado as velas sobre os túmulos e roubado a cera para brincar. Velas bentas têm muito valor para as almas. No dia de Nossa Senhora das Cadeias, Maria Simma teve que acender duas velas por uma alma enquanto suportava por ela sofrimentos expiatórios.
8. A aspersão de água benta também alivia os sofrimentos dos mortos. Certa vez, aspergindo água benta para as almas ao sair de casa, Maria Simma ouviu uma voz dizer-lhe: ‘Mais!’.
Todos esses meios de consolação não ajudam as almas na mesma proporção. Se alguém em vida deu pouco valor à santa missa, também quando estiver no purgatório a missa lhe será de pouco proveito. Quem durante a vida teve o coração insensível, recebe pouca ajuda. Duramente devem expiar também aqueles que pecaram por difamação. No entanto, quem teve um bom coração durante a vida, recebe muita ajuda. Uma alma que havia negligenciado sua frequência às missas pôde pedir oito missas para alívio de seu sofrimento porque, durante sua vida, havia mandado celebrar oito missas por uma alma do purgatório.

MARIA E AS ALMAS DO PURGATÓRIO
Maria é, para as almas do purgatório, a Mãe de Misericórdia.
Quando Seu nome ressoa no purgatório, as almas experimentam grande alegria. Uma alma disse que, ao morrer, Maria pediu a Jesus a libertação de todas as almas que se encontravam então no purgatório. Jesus atendeu esse pedido de sua Mãe e, no dia da Assunção, essas almas acompanharam Maria ao céu, por ter sido Ela, nessa ocasião, coroada Mãe de Misericórdia e Mãe da Divina Graça. No purgatório, Maria distribui as graças de acordo com a vontade de Deus; passa frequentemente pelo purgatório. Isso foi o que viu Maria Simma.

AS ALMAS DO PURGATÓRIO E OS AGONIZANTES
Na noite de Todos os Santos uma alma lhe disse: ‘Hoje, dia de Todos os Santos, vão morrer, no Vorarlberg, duas pessoas que estão em grande perigo de se perderem para a eternidade. Só poderão ser salvas se rezarmos por elas com insistência’. Maria Simma rezou, sendo ajudada ainda por outras pessoas. Na noite seguinte, uma alma veio dizer-lhe que as duas tinham escapado do inferno e chegado no purgatório. Um dos dois doentes deixou-se ainda administrar no último momento; o outro recusou a unção dos enfermos. As almas do purgatório dizem que muita gente vai para o inferno porque pouco rezamos por elas. Deveríamos rezar de manhã e à noite a seguinte oração indulgenciada:
Jesus, Tu que amas de um amor tão ardente as almas, peço-te e conjuro-te, pela agonia de teu Sacratíssimo Coração e pelas dores de tua Santíssima Mãe, lava, em teu sangue, os pecadores do mundo inteiro que se encontram agora em agonia e que vão morrer nesta noite ainda.
Divino Coração de Jesus, que sofreste a agonia, tem misericórdia dos agonizantes. Amém.
Maria Simma viu uma vez muitas almas sobre a balança entre o inferno e o purgatório.”
Fonte: “Maria Simma, Segredos revelados pelas almas do Purgatório”, Associação Maria Porta do Céu.



Compartilhe este artigo, evangelize! :

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Support : | |
Copyright © 2011. Nossa Senhora de Medjugorje - All Rights Reserved
Template Created by Nossa Senhora de Medjugorje, Aparições de Nossa Senhora
Proudly powered by