Terça Feira VIII Semana doTempo Comum

terça-feira, 17 de julho de 2012

Bem Aventurado Inácio de Azevedo LAUDES V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio. R. Socorrei-me sem demora. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Hino De Cristo o dom eterno, dos mártires vitória, alegres celebremos com cânticos de glória. São príncipes da Igreja, na luta triunfaram. Do mundo sendo luzes, à glória já chegaram. Venceram os terrores, as penas desprezaram. Na morte coroados, à luz feliz chegaram. Por ímpios torturados, seu sangue derramaram. Mas, firmes pela fé, na vida eterna entraram. Invictos na esperança, guardando a fé constantes, no pleno amor de Cristo já reinam triunfantes. Já têm no Pai a glória, no Espírito a energia, e exultam pelo Filho, repletos de alegria. Pedimos, Redentor, unidos ser também dos mártires à glória no vosso Reino. Amém. Salmodia Ant. 1 Os mártires de Cristo, em seus tormentos, contemplavam os céus e suplicavam: Ó Senhor, dai-nos a força nesta hora! Salmo 62 (63), 2-9. Sede de Deus Vigia diante de Deus, quem rejeita as obras das trevas (cf. 1Ts 5,5) — Sois vós, ó Senhor, o meu Deus!* Desde a aurora ansioso vos busco! = A minh'alma tem sede de vós,+ minha carne também vos deseja,* como terra sedenta e sem água! — Venho, assim, contemplar-vos no templo,* para ver vossa glória e poder. — Vosso amor vale mais do que a vida:* e por isso meus lábios vos louvam. — Quero, pois, vos louvar pela vida,* e elevar para vós minhas mãos! — A minh'alma será saciada,* como em grande banquete de festa; — cantará a alegria em meus lábios,* ao cantar para vós meu louvor! — Para mim fostes sempre um socorro;* de vossas asas à sombra eu exulto! — Minha alma se agarra em vós;* com poder vossa mão me sustenta. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Os mártires de Cristo, em seus tormentos, contemplavam os céus e suplicavam: Ó Senhor, dai-nos a força nesta hora! Ant. 2 Espíritos celestes e santos do Senhor, cantai com alegria um hino ao nosso Deus. Aleluia. No cânticos que se segue o refrão entre parênteses é opcional. Cântico Dn 3,57-88.56 Louvor das criaturas ao Senhor Louvai o nosso Deus, todos os seus servos (Ap 19,5) - Obras do Senhor, bendizei o Senhor,* louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim! - Céus, bendizei o Senhor! Anjos do Senhor, bendizei o Senhor! (R. Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim! Ou R. A ele glória e louvor eternamente) - Águas do alto céu, bendizei o Senhor!* Potências do Senhor, bendizei o Senhor! - Lua e sol, bendizei o Senhor!* Astros e estrelas bendizei o Senhor! (R.) - Chuvas e orvalhos, bendizei o Senhor!* Brisas e ventos, bendizei o Senhor! - Fogo e calor, bendizei o Senhor!* Frio e ardor, bendizei o Senhor! (R.) - Orvalhos e garoas, bendizei o Senhor!* Geada e frio, bendizei o Senhor! - Gelos e neves, bendizei o Senhor!* Noites e dias, bendizei o Senhor! (R.) - Luzes e trevas, bendizei o Senhor!* Raios e nuvens, bendizei o Senhor! -Ilhas e terra, bendizei ao Senhor!* Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim! (R.) - Montes e colinas, bendizei o Senhor!* Plantas da terra, bendizei o Senhor! - Mares e rios, bendizei o Senhor!* Fontes e nascentes, bendizei o Senhor! (R.) - Baleias e peixes, bendizei o Senhor!* Pássaros do céu, bendizei o Senhor! - Feras e rebanhos, bendizei o Senhor!* Filhos dos homens, bendizei o Senhor! (R.) - Filhos de Israel, bendizei o Senhor!* Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim! - Sacerdotes do Senhor, bendizei o Senhor!* Servos do Senhor, bendizei o Senhor! (R.) - Almas dos justos, bendizei o Senhor!* Santos e humildes, bendizei o Senhor! - Jovens Misael,Ananias e Azarias, bendizei o Senhor,* louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim! (R.) - ao Pai e ao Filho e ao espírito Santo* louvemos e exaltemos pelos séculos sem fim! - Bendito sois, Senhor, no firmamento dos céus!* Sois digno de louvor e de glória eternamente! (R.) No fim deste cântico não se diz Glória ao Pai Ant. Espíritos celestes e santos do Senhor, cantai com alegria um hino ao nosso Deus. Aleluia. Ant. 3 Vós mártires todos em coro, louvai o Senhor nas alturas! Salmo 149 A alegria e o louvor dos santos Os filhos da Igreja, novo povo de Deus, se alegrem no seu Rei Cristo Jesus (Hesíquio) — Cantai ao Senhor Deus um canto novo,* e o seu louvor na assembléia dos fiéis! — Alegre-se Israel em quem o fez,* e Sião se rejubile no seu Rei! — Com danças glorifiquem o seu nome,* toquem harpa e tambor em sua honra! — Porque, de fato, o Senhor ama seu povo* e coroa com vitória os seus humildes. — Exultem os fiéis por sua glória,* e cantando se levantem de seus leitos, — com louvores do Senhor em sua boca* e espadas de dois gumes em sua mão, — para exercer sua vingança entre as nações,* e infligir o seu castigo entre os povos, — colocando nas algemas os seus reis,* e seus nobres entre ferros e correntes, — para aplicar-lhes a sentença já escrita:* Eis a glória para todos os seus santos. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Vós mártires todos em coro, louvai o Senhor nas alturas! Leitura breve 2Cor 1,3-5 Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda consolação. Ele nos consola em todas as nossas aflições, para que, coma consolação que nós mesmos recebemos de Deus, possamos consolar os que se acham em toda e qualquer aflição. Pois, à medida que os sofrimentos de Cristo crescem para nós, cresce também a nossa consolação por Cristo. Responsório breve R. Os santos e os justos * Viverão eternamente. R. Os santos. V. E a sua recompensa é o Senhor. * Viverão. Glória ao Pai. R. Os santos. CÂNTICO EVANGÉLICO(BENEDICTUS) Lc 1,68-79 Ant. Felizes de vós, os perseguidos por causa da justiça do Senhor, porque o Reino dos céus há de ser vosso! O Messias e seu Precursor –68 Bendito seja o Senhor Deus de Israel, * que a seu povo visitou e libertou; –69 e fez surgir um poderoso Salvador * na casa de Davi, seu servidor, –70 como falara pela boca de seus santos, * os profetas desde os tempos mais antigos, –71 para salvar-nos do poder dos inimigos * e da mão de todos quantos nos odeiam. –72 Assim mostrou misericórdia a nossos pais, * recordando a sua santa Aliança. –73 e o juramento a Abraão, o nosso pai, * de conceder-nos 74 que, libertos do inimigo, = a ele nós sirvamos sem temor † 75 em santidade e em justiça diante dele, * enquanto perdurarem nossos dias. =76 Serás profeta do Altíssimo, ó menino, † pois irás andando à frente do Senhor * para aplainar e preparar os seus caminhos, –77 anunciando ao seu povo a salvação, * que está na remissão de seus pecados; –78 pelo amor do coração de nosso Deus, * Sol nascente que nos veio visitar –79 lá do alto como luz resplandecente * a iluminar a quantos jazem entre as trevas = e na sombra da morte estão sentados † e para dirigir os nossos passos, * guiando-nos no caminho da paz. – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Felizes de vós, os perseguidos por causa da justiça do Senhor, porque o Reino dos céus há de ser vosso! Preces Irmãos, celebremos nosso Salvador, a Testemunha fiel, nos mártires que deram a vida pela palavra de Deus; e digamos: R. Com vosso sangue nos remistes, Senhor! Por intercessão de vossos mártires que abraçaram livremente a morte para testemunharem a sua fé, – dai-nos, Senhor, a verdadeira liberdade de espírito. R. Por intercessão de vossos mártires, que proclamaram a fé, derramando o próprio sangue, – dai-nos, Senhor, pureza e constância na fé.R. Por intercessão de vossos mártires que, carregando a cruz, seguiram vossos passos, – dai-nos, Senhor, suportar com coragem as dificuldades da vida. R. Por intercessão de vossos mártires, que lavaram suas vestes no sangue do Cordeiro, – dai-nos, Senhor, vencer todas as ciladas da carne e do mundo. R. (intenções livres) Pai nosso... Oração Ó Deus, que escolhestes Inácio de Azevedo e seus trinta e nove companheiros para regarem com seu sangue as primeiras sementes do Evangelho lançadas na Terra de Santa Cruz, concedei-nos professar constantemente, para vossa maior glória, a fé que recebemos de nossos antepassados. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Conclusão da Hora O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna. Amém. Hora Média V. Vinde, ó Deus em meu auxílio. R. Socorrei-me sem demora. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. HINO Cumprindo o ciclo tríplice das horas, louvemos ao Senhor de coração, cantando em nossos salmos a grandeza de Deus, que é Uno e Trino em perfeição. A exemplo de São Pedro, nosso mestre, guardando do Deus vivo e verdadeiro, em almas redimidas, o mistério, sinal de salvação ao mundo inteiro, também salmodiamos no espírito, unidos aos apóstolos do Senhor, e assim serão firmados nossos passos na força de Jesus, o Salvador. Louvor ao Pai, autor de toda a vida, e ao Filho, Verbo Eterno, Sumo Bem, unidos pelo amor do Santo Espírito, Deus vivo pelos séculos. Amém. Salmodia Ant. Chorando de tristeza, sairão espalhando suas sementes. Salmo 125(126) Alegria e esperança em Deus Assim como participais dos nossos sofrimentos, participais também da nossa consolação (2Cor 1,7). –1 Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, * parecíamos sonhar; –2 encheu-se de sorriso nossa boca, * nossos lábios, de canções. – Entre os gentios se dizia: 'Maravilhas * fez com eles o Senhor!' –3 Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, * exultemos de alegria! –4 Mudai a nossa sorte, ó Senhor, * como torrentes no deserto. –5 Os que lançam as sementes entre lágrimas, * ceifarão com alegria. –6 Chorando de tristeza sairão, * espalhando suas sementes; – cantando de alegria voltarão, * carregando os seus feixes! – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Salmo 126(127) O trabalho sem Deus é inútil Vós sois a construção de Deus (1Cor 3,9). –1 Se o Senhor não construir a nossa casa, * em vão trabalharão seus construtores; – Se o Senhor não vigiar nossa cidade, * em vão vigiarão as sentinelas! –2 É inútil levantar de madrugada, * ou à noite retardar vosso repouso, – para ganhar o pão sofrido do trabalho, * que a seus amados Deus concede enquanto dormem. –3 Os filhos são a bênção do Senhor, * o fruto das entranhas, sua dádiva. –4 Como flechas que um guerreiro tem na mão, * são os filhos de um casal de esposos jovens. –5 Feliz aquele pai que com tais flechas * consegue abastecer a sua aljava! – Não será envergonhado ao enfrentar * seus inimigos junto às portas da cidade. – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Salmo 127(128) A paz do Senhor na família De Sião, isto é, da sua Igreja, o Senhor te abençoe (Arnóbio). –1 Feliz és tu se temes o Senhor * † e trilhas seus caminhos! –2 Do trabalho de tuas mãos hás de viver, * serás feliz, tudo irá bem! –3 A tua esposa é uma videira bem fecunda * no coração da tua casa; – os teus filhos são rebentos de oliveira * ao redor de tua mesa. –4 Será assim abençoado todo homem * que teme o Senhor. –5 O Senhor te abençoe de Sião, * cada dia de tua vida; – para que vejas prosperar Jerusalém * 6 e os filhos dos teus filhos. – Ó Senhor, que venha a paz a Israel, * que venha a paz ao vosso povo! – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Chorando de tristeza, sairão espalhando suas sementes. Leitura breve Sb 3,1-2a.3b A vida dos justos está nas mãos de Deus, e nenhum tormento os atingirá. Aos olhos dos insensatos parecem ter morrido; mas eles estão em paz. V. Cantando de alegria,voltarão, R. Carregando os seus feixes. Oração Ó Deus, que escolhestes Inácio de Azevedo e seus trinta e nove companheiros para regarem com seu sangue as primeiras sementes do Evangelho lançadas na Terra de Santa Cruz, concedei-nos professar constantemente, para vossa maior glória, a fé que recebemos de nossos antepassados. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Conclusão da Hora V. Bendigamos ao Senhor. R. Demos graças a Deus BEM-AVENTURADO INÁCIO DE AZEVEDO, PRESBÍTERO, E SEUS COMPANHEIROS, MÁRTIRES Memória Inácio de Azevedo nasceu no Porto (Portugal), de família ilustre, em 1526 ou1527; entrou na Companhia de Jesus em 1548 e foi ordenado sacerdote em 1553. Mais tarde partiu para o Brasil, a fim de se consagrar ao apostolado missionário. Tendo voltado à pátria,conseguiu recrutar numerosos colaboradores para a sua obra evangelizadora e empreendeu a viagem de regresso; mas, interceptados ao largo das ilhas Canárias pelos corsários anticatólicos, ali sofreu o martírio no dia 15 de julho de 1570. Os trinta e nove Companheiros que iam na mesma nau (trinta e um portugueses e oito espanhóis) foram também Martirizados no mesmo dia ou no dia seguinte. Foram beatificados pelo papa Pio IX em 1854. _____________________________________________________________________________ Invitatório ___________________________________________________ Ofício das Leituras V. Vinde, ó Deus, em meu auxílio. R. Socorrei-me sem demora. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Esta introdução se omite quando o Invitatório precede imediatamente ao Ofício das Leituras. Hino Rei glorioso do mártir, sois a coroa e o troféu, pois desprezando esta terra, procura apenas o céu. Que o coração inclinando, possais ouvir nossa voz; vossos heróis celebrando, supliquem eles por nós! Se pela morte venceram, mostrando tão grande amor, vençamos nós pela vida de santidade e louvor. A vós, Deus uno, Deus trino, sobe hoje nosso louvor, pelos heróis que imitaram a própria cruz do Senhor. Salmodia Ant. 1 Até à morte fiéis ao Senhor, derramaram seu sangue por Cristo e alcançaram o prêmio eterno. Salmo 2 –1 Por que os povos agitados se revoltam? * por que tramam as nações projetos vãos? =2 Por que os reis de toda a terra se reúnem, † e conspiram os governos todos juntos * contra o Deus onipotente e o seu Ungido? –3 “Vamos quebrar suas correntes”, dizem eles, * “e lançar longe de nós o seu domínio!” –4 Ri-se deles o que mora lá nos céus; * zomba deles o Senhor onipotente. –5 Ele, então, em sua ira os ameaça, * e em seu furor os faz tremer, quando lhes diz: –6 “Fui eu mesmo que escolhi este meu Rei, * e em Sião, meu monte santo, o consagrei!” =7 O decreto do Senhor promulgarei, † foi assim que me falou o Senhor Deus: * “Tu és meu Filho, e eu hoje te gerei! =8 Podes pedir-me, e em resposta eu te darei † por tua herança os povos todos e as nações, * e há de ser a terra inteira o teu domínio. –9 Com cetro férreo haverás de dominá-los, * e quebrá-los como um vaso de argila!” –10 E agora, poderosos, entendei; * soberanos, aprendei esta lição: –11 Com temor servi a Deus, rendei-lhe glória * e prestai-lhe homenagem com respeito! –12 Se o irritais, perecereis pelo caminho, * pois depressa se acende a sua ira! – Felizes hão de ser todos aqueles * que põem sua esperança no Senhor! – Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. * Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Até à morte fiéis ao Senhor, derramaram seu sangue por Cristo e alcançaram o prêmio eterno. Ant. 2 Os justos viverão eternamente, e a sua recompensa é o Senhor. Salmo 32(33) I –1 Ó justos, alegrai-vos no Senhor! * Aos retos fica bem glorificá-lo. –2 Dai graças ao Senhor ao som da harpa, * na lira de dez cordas celebrai-o! –3 Cantai para o Senhor um canto novo, * com arte sustentai a louvação! –4 Pois reta é a palavra do Senhor, * e tudo o que ele faz merece fé. –5 Deus ama o direito e a justiça, * transborda em toda a terra a sua graça. –6 A palavra do Senhor criou os céus, * e o sopro de seus lábios, as estrelas. –7 Como num odre junta as águas do oceano, * e mantém no seu limite as grandes águas. – –8 Adore ao Senhor a terra inteira, * e o respeitem os que habitam o universo! –9 Ele falou e toda a terra foi criada, * ele ordenou e as coisas todas existiram. –10 O Senhor desfaz os planos das nações * e os projetos que os povos se propõem. =11 Mas os desígnios do Senhor são para sempre, † e os pensamentos que ele traz no coração, * de geração em geração, vão perdurar. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant.Os justos viverão eternamente, e a sua recompensa é o Senhor. Ant. 3 Vós lutastes por mim sobre a terra: recebei, meus amigos, o prêmio. II –12 Feliz o povo cujo Deus é o Senhor, * e a nação que escolheu por sua herança! –13 Dos altos céus o Senhor olha e observa; * ele se inclina para olhar todos os homens. –14 Ele contempla do lugar onde reside * e vê a todos os que habitam sobre a terra. –15 Ele formou o coração de cada um * e por todos os seus atos se interessa. –16 Um rei não vence pela força do exército, * nem o guerreiro escapará por seu vigor. –17 Não são cavalos que garantem a vitória; * ninguém se salvará por sua força. –18 Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem, * e que confiam esperando em seu amor, –19 para da morte libertar as suas vidas * e alimentá-los quando é tempo de penúria. –20 No Senhor nós esperamos confiantes, * porque ele é nosso auxílio e proteção! –21 Por isso o nosso coração se alegra nele, * seu santo nome é nossa única esperança. –22 Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, * da mesma forma que em vós nós esperamos! Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre. Amém. Ant. Vós lutastes por mim sobre a terra: recebei, meus amigos, o prêmio. V. No Senhor nós esperamos confiantes. R. Porque ele é nosso auxílio e proteção. Primeira leitura Da Carta de São Paulo aos Romanos 8,18-39 Nada nos pode separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus Irmãos: 18Eu entendo que os sofrimentos do tempo presente nem merecem ser comparados com a glória que deve ser revelada em nós. 19De fato, toda a criação está esperando ansiosamente o momento de se revelarem os filhos de Deus. 20Pois a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua livre vontade, mas por sua dependência daquele que a sujeitou; 21também ela espera ser libertada da escravidão da corrupção e, assim, participar da liberdade e da glória dos filhos de Deus. 22Com efeito, sabemos que toda a criação, até ao tempo presente, está gemendo como que em dores de parto. 23E não somente ela, mas nós também, que temos os primeiros frutos do Espírito, estamos interiormente gemendo, aguardando a adoção filial e a libertação para o nosso corpo. 24Pois já fomos salvos,mas na esperança. Ora, o objeto da esperança não é aquilo que a gente está vendo; como pode alguém esperar o que já vê? 25Mas se esperamos o que não vemos, é porque o estamos aguardando mediante a perseverança. 26Também o Espírito vem em socorro da nossa fraqueza. Pois nós não sabemos o que pedir, nem como pedir; é o próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemidos inefáveis. 27E aquele que penetra o íntimo dos corações sabe qual é a intenção do Espírito. Pois é sempre segundo Deus que o Espírito intercede em favor dos santos. 28Sabemos que tudo contribui para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados para a salvação, de acordo com o projeto de Deus. 29Pois aqueles que Deus contemplou com seu amor desde sempre, a esses ele predestinou a serem conformes à imagem de seu Filho, para que este seja o primogênito numa multidão de irmãos. 30E aqueles que Deus predestinou, também os chamou. E aos que chamou, também os tornou justos;e aos que tornou justos, também os glorificou. 31Depois disto, que vos resta dizer? Se Deus é por nós, quem será contra nós? 32Deus que não poupou seu próprio filho, mas o entregou por todos nós, como não nos daria tudo junto com ele? 33Quem acusará os escolhidos de Deus? Deus, que os declara justos? 34Quem condenará? Jesus Cristo, que morreu, mais ainda, que ressuscitou, e está, à direita de Deus, intercedendo por nós? 35Quem nos separará do amor de Cristo? Tribulação? Angústia? Perseguição? Fome? Nudez? Perigo? Espada? 36Pois é assim que está escrito: “Por tua causa somos entregues à morte, o dia todo; fomos tidos como ovelhas destinadas ao matadouro”. 37Mas, em tudo isso, somos mais que vencedores, graças àquele que nos amou! 38Tenho a certeza que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os poderes celestiais, nem o presente nem o futuro, nem as forças cósmicas, 39nem a altura, nem a profundeza, nem outra criatura qualquer será capaz de nos separar do amor de Deus por nós, manifestado em Cristo Jesus, nosso Senhor. Responsório Mt 5,44-45.48; Lc 6,17 R. Amai os vossos inimigos, diz Jesus, orai por quem vos calunia e persegue, * E sereis filhos do vosso Pai celeste. V. Sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito. * E sereis. Segunda leitura Das Homilias de São João Crisóstomo, bispo (Hom. De gloria in tribulationibus, 2.4: PG 51, 158-159.162-164) (Séc.IV) Os sofrimentos e a glória dos mártires Consideremos a sabedoria de Paulo. Que diz ele? Eu entendo que os sofrimentos do tempo presente nem merecem ser comparados com a glória que deve ser revelada em nós (Rm 8,18). Por que, exclama, me falais das feridas, dos tormentos, dos altares, dos algozes, dos suplícios, da fome, do exílio, das privações, dos grilhões e das algemas? Ainda que invoqueis todas as coisas que atormentam os homens, nada podeis mencionar que esteja à altura daqueles prêmios, daquelas coroas, daquelas recompensas. Pois as provações cessam com a vida presente, ao passo que a recompensa é imortal, permanecendo para sempre. Também isto insinuava o Apóstolo em outro lugar, quando dizia: O que no presente é insignificante e momentânea tribulação (cf. 2Cor 4,17). Ele diminuía a quantidade pela qualidade, e alivia a dureza pelo breve espaço de tempo. Como as tribulações que então sofriam eram penosas e duras por natureza, Paulo se serve de sua brevidade para diminuir-lhe a dureza, dizendo: O que no presente é insignificante e momentânea tribulação, acarreta para nós uma glória eterna e incomensurável. E isso acontece, porque voltamos os nossos olhares para as coisas invisíveis e não para as coisas visíveis. Pois o que é visível é passageiro, mas o que é invisível é eterno (cf. 2Cor 4,17- 18). Vede como é grande a glória que acompanha a tribulação! Vós mesmos sois testemunhas do que dizemos. Antes mesmo que os mártires tenham recebido as recompensas, os prêmios, as coroas, enquanto ainda se vão transformando em pó e cinza, já acorremos com entusiasmo para honrá-los, convocando uma assembléia espiritual, proclamando o seu triunfo, exaltando o sangue que derramaram, os tormentos, os golpes, as aflições e as angústias que sofreram. Assim, as próprias tribulações são para eles uma fonte de glória, mesmo antes da recompensa final. Tendo refletido sobre estas coisas, irmãos caríssimos, suportemos generosamente todas as adversidades que sobrevierem. Se Deus as permite, é porque são úteis para nós. Não percamos a esperança nem a coragem, prostrados pelo peso dos sofrimentos, mas resistamos com fortaleza e demos graças a Deus pelos benefícios que nos concedeu. Deste modo, depois de gozarmos dos seus dons na vida presente, alcançaremos os bens da vida futura, pela graça, misericórdia e bondade de nosso Senhor Jesus Cristo. A ele pertencem a glória e o poder, com o Espírito Santo, agora e sempre e pelos séculos. Amém. Responsório Sb 3,1-4 R. As almas dos justos estão protegidas nas mãos do Senhor. O tormento da morte não há de atingi-los. * Aos olhos dos tolos estão como mortos, mas repousam em paz. V. Se aos olhos dos homens sofreram tormentos, sua esperança era plena de vida imortal. * Aos olhos. Oração Ó Deus, que escolhestes Inácio de Azevedo e seus trinta e nove companheiros para regarem com seu sangue as primeiras sementes do Evangelho lançadas na Terra de Santa Cruz, concedei-nos professar constantemente, para vossa maior glória, a fé que recebemos de nossos antepassados. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Conclusão da Hora V. Bendigamos ao Senhor. R. Demos graças a Deus.
Compartilhe este artigo, evangelize! :

0 comentários:

Deixe seu comentario

O que você achou do artigo... !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Support : | |
Copyright © 2011. Nossa Senhora de Medjugorje - All Rights Reserved
Template Created by Nossa Senhora de Medjugorje, Aparições de Nossa Senhora
Proudly powered by