"Até que a morte os separe!"

sábado, 5 de maio de 2012


video

A Igreja, através da Palavra de Jesus, afirma que o vínculo do matrimônio deve durar até a morte. Ao instituir o Sacramento do matrimônio, Cristo declarou que nenhum ser humano poderá revogá-lo: “Não separe, pois, o homem o que Deus uniu”.
Todo casal que se casa na Igreja faz, com Deus e entre si, um contrato sagrado de fidelidade, na presença do padre, pais, padrinhos e testemunhas. Segurando a mão um do outro proferem um voto solene: “Eu vos aceito por meu legítimo (a) esposo (a) e te prometo (a) ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na fartura e na pobreza, na juventude e na velhice, amando-te e respeitando-te por todos os dias de minha vida, até que a morte nos separe.” Os cônjuges juram diante de Deus que nada - nem separação, nem divórcio, nem tentativa de casamento com outra pessoa - destruirá o vínculo do matrimônio; concordam que sua união é para toda vida... até a morte! Se mais tarde o casal, por algum motivo, desejar romper o vínculo matrimonial, não poderá alegar que ignorava as condições exatas de seu contrato de casamento, pois sabe que a única condição para que o casamento legítimo termine é a morte.
Por essa razão, o divórcio foi proibido pela Igreja primitiva, há tempos. O apóstolo Paulo afirma em uma de suas cartas escrita aos Coríntios: “Aos casados mando (não eu, mas o Senhor) que a mulher não se separe do marido. E, se ela estiver separada, que fique sem se casar, ou que se reconcilie com seu marido. Igualmente, o marido não repudie sua mulher.” (I Cor 7, 10-11). Em outra citação, mais adiante, ele diz: “A mulher está ligada ao marido enquanto ele viver. Mas, se morrer o marido, ela fica livre e poderá casar-se com quem quiser, contanto que seja no Senhor.” (1 Cor 7,39). Por isso, os cônjuges devem manter sua palavra de promessa a Deus e permanecer fiéis um ao outro, nos melhores e piores momentos de suas vidas.
Muito embora a ideia do divórcio seja estimulada e induzida pela modernidade e pelo modismo que regem o mundo, separação nunca foi e jamais será o plano de Deus. A ideia de separação deve ser banida do relacionamento entre casais, mesmo que, numa determinada situação, pareça ser a melhor solução. Antes de qualquer atitude irracional e precipitada, devemos refletir nos ensinamentos do Senhor a respeito do perdão, da reconciliação, do amor e da paz. De maneira que novas atitudes, como perdão e tolerância, revigorem a chama do amor, trazendo luz e calor, para os momentos de frieza e obscuridade.
Como o divórcio proporciona o rompimento de uma união sagrada, ou seja, feita na presença do Senhor, traz consigo consequência drásticas, tanto para o casal, como para os filhos e parentes e até para a sociedade. É por isso que, para o bem do marido e da mulher, para o conforto físico e espiritual dos filhos e para a prosperidade da sociedade, o vínculo do casamento não pode ser partido, exceto pela morte.






Compartilhe este artigo, evangelize! :

0 comentários:

Deixe seu comentario

O que você achou do artigo... !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Support : | |
Copyright © 2011. Nossa Senhora de Medjugorje - All Rights Reserved
Template Created by Nossa Senhora de Medjugorje, Aparições de Nossa Senhora
Proudly powered by